O rumor é antigo, embora nunca tenha sido sustentado por qualquer evidência. Lord Porchester foi, durante anos, o responsável pelos estábulos reais, tendo desempenhado funções enquanto gestor de corridas de cavalos de Isabel II. A amizade entre os dois vinha dos tempos de infância (ele era apenas dois anos mais velho), uma proximidade de longa data que fez com que a Rainha o apelidasse carinhosamente com o diminutivo Porchie.

Embora a estreia de “The Crown” esteja agendada só para o próximo domingo, sabe-se que a terceira temporada da produção da Netflix reaviva a ideia de um suposto caso extraconjugal de Isabel II com o Conde de Carnarvon, papel agora desempenhado pelo ator John Hollingworth, depois de ter sido Joseph Kloska a interpretar o aristocrata durante as primeiras duas temporadas.

A Rainha ao lado de Lord Porchester, durante o Derby em Epsom, na década de 80 © Tim Graham Photo Library via Getty Images

Entre as décadas de 50 e 80, era comum avistá-los juntos, sobretudo em corridas de cavalos, ocasiões quase sempre vibrantes para a monarca. Nos episódios prestes a estrear, os dois protagonizaram viagens a França e aos Estados Unidos, para conhecer fazendas e criadores.

Durante esse período (sabe-se que a nova temporada da série arranca em 1964, ano em que a Rainha completou 38 anos de idade), não foi apenas Isabel II que manteve o casamento com o príncipe Philip. Henry Herbert, nome de batismo de Lord Porchester, também foi casado. Uniu-se a Jean Margaret Wallop em janeiro de 1956, em Nova Iorque, já que uma parte da família da noiva era norte-americana. Tiveram três filhos. O mais velho, George Herbert, atual conde de Carnarvon, é afilhado da Rainha.

Lord Porchester fotografado para a Vogue, em 1952 © Henry Clarke/Condé Nast via Getty Images

Henry Herbert, o pai, morreu no dia 11 de setembro de 2001, com 77 anos. A mãe morreu em abril deste ano, aos 83, e a cerimónia fúnebre contou com a presença da monarca. Inconfundível é a residência da família, o castelo de Highclere, mais conhecido por ter servido de cenário à série “Downton Abbey”.

Não obstante Isabel II ser, atualmente, a única interveniente viva, os rumores de um caso extraconjugal entre o conde e a Rainha fazem parte do guião desta terceira temporada da série. Da parte de Buckingham não há reações. Quem já veio responder à nova vaga de especulação foi Dickie Arbiter, antigo secretário de imprensa de Isabel II, que classifica os rumores como “difamação”.

Em dezembro de 1956: a Rainha no batizado do primeiro filho de Lord e Lady Porchester (ambos à esquerda), em Londres © Keystone/Hulton Archive/Getty Images

“É de mau gosto e completamente infundado”, afirmou o antigo assessor ao The Sunday Times. “A Rainha é a última pessoa do mundo a alguma vez considerar olhar para outro homem. ‘The Crown’ é ficção. Ninguém sabe das conversas entre os membros da família real, mas as pessoas vão contar a história como quiserem e vão fazê-lo de forma sensacionalista”, referiu ainda Arbiter.

A terceira temporada de “The Crown” estreia mundialmente no próximo domingo, dia 17 de novembro, na plataforma de streaming da Netflix. O papel de Isabel II será desempenhado por Olivia Colman, vencedora do Óscares de Melhor Atriz.