A edição de 2019 do Grande Prémio Amadeo de Souza-Cardoso, atribuído pela Câmara Municipal de Amarante, vai distinguir o artista plástico Eduardo Batarda, disse esta terça-feira à Lusa fonte do município.

A atribuição do Grande Prémio Amadeo de Souza-Cardoso vai decorrer naquela cidade do distrito do Porto, no dia 23 de maio de 2020, no âmbito das cerimónias de encerramento da evocação do centenário da morte de Amadeo de Souza-Cardoso, que era natural de Amarante.

A atribuição do prémio foi decidida, por unanimidade, pelo júri presidido por Raquel Henriques da Silva, segundo a organização. “Em consequência, o município de Amarante fará a aquisição de uma ou mais obras de Eduardo Batarda, até ao montante máximo de 25 mil euros, sendo ainda o artista convidado a realizar uma exposição das suas obras no Museu Municipal Amadeo de Souza-Cardoso”, acrescentou a autarquia.

Eduardo Batarda nasceu em 1943, em Coimbra, formou-se na Escola Superior de Belas Artes de Lisboa e expôs pela primeira vez em 1966.

Com periodicidade bienal, o Prémio Amadeo de Souza-Cardoso, que cumpre este ano a sua 12.ª edição, subdivide-se em três categorias: Grande Prémio Amadeo de Souza-Cardoso, Prémio Amadeo de Souza-Cardoso e Prémio de Aquisição do Grupo dos Amigos da Biblioteca-Museu.

Desde 1997, quando o município retomou atribuição do Grande Prémio, foram vários os artistas consagrados, nomeadamente Fernando Lanhas (1997), Fernando Azevedo (1999), Costa Pinheiro (2001), Júlio Pomar (2003), Nikias Skapinakis (2005), Ângelo de Sousa (2007), João Vieira (2009), António Sena (2011), Paula Rego (2013), Alberto Carneiro (2015), Jorge Pinheiro (2017) e Eduardo Batarda (2019).