Nunca ouvimos falar tanto de sustentabilidade como nos últimos tempos e, embora sejam necessárias grandes mudanças, há também muitos pequenos gestos que podem fazer, juntos, uma enorme diferença. Cada um de nós pode (e deve) começar por refletir sobre os seus hábitos diários, alterando comportamentos no sentido de contribuir para um mundo mais verde. Repensar o que se pode fazer com um objeto, dando-lhe nova vida. Reutilizá-lo. Reciclar. Estas são palavras de ordem, a bem de um mundo mais sustentável e de uma economia circular.

Se tem vontade de reinventar aquilo que outrora consideraria lixo, aconselhamo-lo a começar pela cozinha, onde a única coisa de que precisa é uma boa dose de imaginação, pois as opções são ilimitadas. As cascas de batata e de cenoura? Frite-as e sirva-as com uma maionese caseira. Os restos de cebola, tomate e alho que sobram dos refogados? Dão caldos ultra saborosos. Temos ainda as frutas maduras, que dão saborosas compotas; as cascas de limão, que tanto servem para adicionar a receitas de bolos como para fazer chá; ou as borras de café, que podem ser utilizadas como fertilizantes. E a alimentação é apenas a ponta do icebergue… Tomemos as embalagens como exemplos.

Garrafas de plástico

As garrafas de plástico podem ser reutilizadas algumas vezes para beber água, desde que estejam armazenadas em locais frescos e protegidos da luz solar, mas não duram para sempre. Quando deixarem de servir para esse propósito, podem ganhar um novo sentido, passando a ser usadas para regar as plantas. Experimente fazer-lhes um pequeno furinho na parte inferior e colocá-las por cima de vasos ou canteiros. Aquelas plantas que precisam de ser regadas regularmente de forma doseada agradecer-lhe-ão.

O ecoponto certo: Se já usou e voltou a utilizar, e já estiver mesmo no limite, deposite as embalagens de plástico no ecoponto amarelo. Podem dar vida a novas embalagens ou até mesmo peças de vestuário.

Enlatados

Se as pintarmos e enfeitarmos, as latas de feijão, grão e afins dão vasos para plantas originais e versáteis, que tanto servem para o interior como para o exterior, são resistentes e podem ser decorados de mil e uma formas. Combine cores e faça da sua casa um lugar mais verde. Ou, se preferir, use-as para pôr lápis e canetas da pequenada.

O ecoponto certo: Já foram vasos e tiveram ainda mais outra utiliadade. Já estão demasiado gastos? Deposite no ecoponto amarelo. O metal é infinitamente reciclável e pode voltar nas peças da sua bicicleta ou em novas latas.

Garrafas de vidro

Com alguma habilidade, as garrafas de vidro podem tornar-se candeeiros ou candelabros tão rústicos quanto elegantes. Experimente fazer delas pontos de luz e coloque-as sobre a mesa de jantar como elementos decorativos.

O ecoponto certo: Nas suas mãos, já fizeram o que tinha de ser feito? Deposite no ecoponto verde. Quem sabe não se voltam a encontrar numa outra garrafa.

Caixas de papel

É especialista em espalhar (e volta e meia perder) faturas, recibos, papéis e papelinhos pela casa? Se calhar o que lhe falta é juntar a papelada toda num organizador de documentos. Retire o topo e um pouco de um dos lados das embalagens de cereais, pinte e decore a caixa a seu gosto. Et voilà… acabaram-se os documentos perdidos!

O ecoponto certo: Já se está a rasgar e já não há volta a dar? Não se preocupe. Ao depositar as embalagens de papel no ecoponto azul, não só contribui para a economia circular, como para a sustentabilidade.

Atribuir novos significados a objetos aparentemente obsoletos é uma forma divertida e criativa de reduzir o nosso impacto ambiental. E, quando deixa de ser possível fazê-lo, entra a reciclagem em cena como a opção mais verde possível. Ao reciclarmos as embalagens de papel, plástico, metal ou vidro, passamos a ser elementos participativos num processo que lhes dá uma nova vida e os transforma em diferentes produtos, fechando o ciclo de consumo sobre si, num círculo mais sustentável e amigo do ambiente.