O golo de Rúben Neves na receção do Wolverhampton ao Aston Villa reforçou a posição do português em vários registos da Premier League, quando se fala de remates certeiros de fora da área. A lógica passou a ser relativamente fácil de perceber: se há espaço, se alguém tenta a meia distância e se tem sucesso, é Rúben Neves. Pelo menos até esta tarde, em que tudo foi igual mas com um outro protagonista nacional: João Moutinho.

De longe mas tão perto: Rúben Neves volta a marcar de fora da área e reforça recorde na Premier League

Na deslocação dos Wolves ao terreno do Bournemouth, o médio que há quase 15 anos guarda parte dos treinos ao longo da semana para aprimorar a técnica de bater livres diretos foi fundamental para a vitória do conjunto de Nuno Espírito Santo, inaugurando o marcador numa bola parada descaída sobre a esquerda que voou por cima do guarda-redes Ramsdale e entrou no ângulo da baliza dos visitantes (21′). Pouco depois da meia hora, Raúl Jiménez, antigo avançado do Benfica, fez o 2-0 que se registava ao intervalo após assistência de Traoré.

O Bournemouth, reduzido a dez por acumulação de amarelos de Simon Francis ainda na primeira parte (37′), conseguiu ainda ganhar esperança com um golo de Steve Cook a meia hora do final mas o Wolverhampton segurou mesmo a segunda vitória consecutiva no Campeonato, naquele que foi também o oitavo jogo sem perder seguido (quatro vitórias, outros tantos empates) que permitiu à equipa subir ao quinto lugar da classificação.

Em relação a Moutinho, o internacional português de 33 anos conseguiu marcar o primeiro golo da temporada (em 28 jogos, 23 pelo clube e mais cinco pela Seleção) no dia seguinte às declarações de Nuno Espírito Santo, técnico que admitiu pretender que o médio renove contrato com o Wolverhampton. E também nas bancadas dos adeptos do Wolves ficou bem visível essa vontade de manter o antigo jogador de Sporting e FC Porto no clube.