O início do debate instrutório da Operação Marquês, que estava previsto para o fim de janeiro de 2020, foi adiado para 04 de março do próximo ano, disse à agência Lusa fonte ligada ao processo.

Segundo adiantou à Lusa a mesma fonte, o debate instrutório vai realizar-se nos dias 04, 05, 06 e 09 de março e, caso venha a ser necessário, poderá prolongar-se pelos dias 11, 12 e 13 do mesmo mês.

Ivo Rosa, juiz do Tribunal Central de Instrução Criminal (TCIC), justificou o adiamento do debate instrutório (sessão que finaliza a fase de instrução) com o facto de faltarem ainda cumprir diligências no processo Operação Marquês.

A fonte indicou que algumas dessas diligências relacionam-se com pedidos formulados pela defesa dos arguidos e também com documentos que foram solicitados ao Ministério dos Negócios Estrangeiros.

Ao notificar as partes deste adiamento, o juiz refere ainda que a “falta de tempo razoável” para os intervenientes processuais se pronunciarem sobre os documentos a analisar motivam o adiamento da data do início do debate instrutório.

A fase de inquirição de testemunhas do processo ficou concluída na última quarta-feira, faltando, contudo, o arguido José Pinto de Sousa, primo de José Sócrates, ser interrogado, em diligência marcada para 21 de janeiro de 2020.

O processo Operação Marquês, cujo principal arguido é o antigo primeiro-ministro José Sócrates, teve início há mais de cinco anos e conta com 28 arguidos que, globalmente, estão acusados de 188 crimes económico-financeiros.