Um ativista alemão foi identificado este sábado pela polícia por suspender os dois filhos, de oito e 11 anos, numa ponte de Madrid, durante a marcha pelo clima, de acordo com o jornal espanhol ABC.

Equipadas com material de escalada, as crianças foram suspensas numa ponte do Paseo de la Castellana, em Madrid, com a ajuda de vários ativistas, soltando uma faixa com a inscrição “Só faltam 8 anos para os 1,5 graus. Como se atrevem?”, numa referência às metas definidas no Acordo de Paris e à frase proferida pela ativista Greta Thumberg nas Nações Unidas.

Assinado há 4 anos, a 12 de dezembro de 2015, o Acordo de Paris definiu um plano para limitar o aquecimento global a um valor abaixo de dois graus em relação à era pré-industrial, mas de preferência abaixo de 1,5 graus. Neste momento, só Marrocos e a Gâmbia estão em vias de cumprir a meta mais ambiciosa, enquanto Butão, Costa Rica, Etiópia, Índia e Filipinas deverão conseguir cumprir os dois graus, de acordo com a análise científica Climate Action Tracker, divulgada em vésperas da 25.ª cimeira da ONU sobre alterações climáticas, em Madrid.

As duas crianças que ficaram suspensas na ponte da capital espanhola apelidam-se de “meninos da escalada”, mostrando numa biografia as ações que realizaram em nome do planeta. “Quando formos adultos, será demasiado tarde para travar a crise do clima. Por isso, somos os meninos da escalada”, dizem, citados pelo ABC.

Este sábado, também o movimento Extinction Rebellion participou no protesto contra a passividade dos políticos, cortando o trânsito na Gran Via, uma das principais artérias da capital espanhola.