Pelo menos 24 pessoas morreram em Angola, em casos de homicídio, afogamento e acidentes de viação entre o dia 24 de dezembro até as 12:30 desta quarta-feira de natal, 25 de dezembro, anunciou a polícia angolana.

A informação foi transmitida hoje pelo diretor do gabinete de Comunicação Institucional e Imprensa do comando geral da polícia angolana, Orlando Bernardo, referindo que no período o 148 crimes com detenção de 107 cidadãos.

Em conferência de imprensa de balanço sobre a situação de segurança pública em Angola na passagem de natal, o subcomissário realçou, que apesar os números, a noite da consoada foi “calma e tranquila”, aconselhando, no entanto, os cidadãos a evitaram o consumo excessivo de bebidas alcoólicas.

Segundo o oficial da polícia angolana, entre as mortes registadas cinco foram por homicídios, com dois casos já esclarecidos, período em que se registaram também 28 ofensas corporais, com as províncias de Luanda, Bié e Benguela a liderarem os índices criminais.

No domínio da sinistralidade rodoviária, a polícia angolana registou 52 acidentes de viação que resultaram em 12 mortos e 96 feridos, onde os atropelamentos dominaram os sinistros.

O Serviço de Proteção Civil e Bombeiros angolano, também esteve em ação, e registou catorze ocorrências cuja metade foram mortes, nomeadamente quatro por afogamento, dois suicídios por enforcamento e uma morte em consequência do desabamento de uma residência.

Em relação à fiscalização da fronteira, a polícia angolana interpelou 294 cidadãos, maioritariamente da República Democrática do Congo (RDCongo), e repatriou 129. Cerca de 60.000 efetivos, 18.000 dos quais em Luanda, estão destacados para assegurar a quadra festiva em Angola.