Mais de 38.000 pessoas morreram nos Estados Unidos em incidentes relacionados com armas de fogo em 2019, segundo dados divulgados esta quinta-feira pela organização Gun Violence Archive (GVA).

O grupo, que documenta incidentes com armas em todo o país, disse que pelo menos 38.730 pessoas foram mortas a tiro, das quais 14.970 foram vítimas de homicídio, assassínio, tiroteios intencionais e uso defensivo, em comparação com 14.789 mortes em 2018.

Às 14.970 mortes resultantes de tiroteios intencionais ou acidentais em 2019 somam-se 23.760 por suicídio com esse tipo de armamento, segundo a GVA, que no ano passado não revelou o número de suicídios com recurso a arma de fogo.

Até à véspera de Natal, um total de 207 crianças menores de 11 anos perderam a vida e 473 ficaram feridas por armas de fogo, tendo também morrido 762 adolescentes, com idades entre 12 e 17 anos, e 2.253 ficaram feridos.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Estima-se que nos Estados Unidos da América, um país com 327,1 milhões de habitantes, existam entre 200 milhões e 350 milhões de armas de fogo nas mãos de civis, mas os números são vagos porque não há censo nacional, documentação federal ou outros estudos sobre essas armas.

A facilidade de adquirir quase qualquer tipo de arma de fogo e as diferentes leis estaduais que permitem o seu transporte visível ou oculto são duas das questões mais controversas do país e assunto frequente nos debates dos políticos cada vez que uma eleição se aproxima.