Pelo menos dois soldados norte-americanos morreram e outros dois ficaram feridos no sul do Afeganistão, este sábado, na sequência da explosão de uma mina quando passava um veículo de tropas internacionais, ação já reivindicada pelos talibãs.

“Dois militares norte-americanos foram mortos hoje e outros dois ficaram feridos em operações, quando o seu veículo atingiu um explosivo na província de Kandahar”, no sul do país, informou a missão da NATO no Afeganistão, em comunicado.

As vítimas estavam a realizar operações como parte da missão de apoio à NATO”, acrescentou o mesmo comunicado.

A nota explica ainda que a identidade dos soldados mortos não será revelada até que tenham decorrido 24 horas, para que a comunicação “possa ser feita em primeiro lugar às famílias”.

O porta-voz dos talibãs, Zabihullah Mujahid, reinvindicou, numa mensagem publicada na rede social Twitter, a autoria de uma “poderosa explosão” que atingiu “um veículo de tropas estrangeiras numa área perto da base aérea de Kandahar”, que abriga soldados norte-americanos.

“O incidente destruiu completamente o tanque (veículo norte-americano) e os invasores que estavam a bordo morreram”, escreveu.

O atentado aconteceu numa altura em que inverno afegão está intenso e a neve e baixas temperaturas tendem a desacelerar os combates dos talibãs contra as tropas afegãs e estrangeiras, período que normalmente precede o lançamento anual de uma ofensiva na primavera.

Atualmente, talibãs e delegação de Washington estão a fazer uma “breve pausa” nas negociações de paz anunciadas em 12 de dezembro e este incidente aconteceu um dia após uma ação dos talibãs contra a base aérea de Bagram, a maior instalação militar dos EUA no Afeganistão, na qual dois civis e os sete atacantes morreram e pelo menos 70 outras pessoas ficaram feridas.

A pausa nas negociações foi decidida, de acordo com as partes, com o objetivo de finalizar uma ronda de consultas internas entre talibãs sobre a redução da violência.