A Agência Metropolitana de Transportes de Maputo (AMT) vai importar 80 autocarros de 40 lugares cada movidos a gás, uma aquisição orçada num valor total de 3,5 milhões de dólares (3,1 milhões de euros).

“A AMT tem já assegurado um financiamento misto de cerca de 3,5 milhões de dólares norte-americanos”, disse Carlos Mesquita, ministro dos Transportes e Comunicações, citado em comunicado. O projeto resulta de um memorando de entendimento entre a AMT e atores do setor privado para promover o uso do gás natural veicular.

Os meios vão permitir abertura de novas rotas da área metropolitana nas cidades da Matola e Maputo, além de Boane, Namaacha, Marracuene, Bobole, Manhiça e Magude, todas na província de Maputo. Além de flexibilizar a mobilidade urbana, espera-se que com os novos veículos haja uma redução na emissão de gases tóxicos de cerca 10.500 toneladas por ano.

“O desempenho da AMT é positivo. Os resultados de 2019 mostram que as metas foram alcançadas. O governo vai continuar a acarinhar este tipo de iniciativas”, frisou o governante.