Coleções de arte da Fundação Calouste Gulbenkian vão ser exibidas na Região Autónoma da Madeira, na sequência de um acordo entre o parlamento regional e a instituição, que inclui também a realização de concertos.

Esta é uma colaboração de extrema importância, porque é dar a ver aos madeirenses um conjunto de manifestações culturais a que muitas vezes não estamos habituados, porque esses eventos não chegam à Região Autónoma da Madeira”, refere o presidente do parlamento madeirense, José Manuel Rodrigues, num comunicado divulgado este sábado.

O “acordo princípio” foi alcançado esta semana, em Lisboa, numa reunião com a presidente da Fundação Calouste Gulbenkian, Isabel Mota, e o administrador executivo, Guilherme d’Oliveira Martins, estando previsto para breve a assinatura de um protocolo.

“A ideia é levar um conjunto de exposições de artes plásticas de alta qualidade da Fundação à Madeira, por via da Assembleia Legislativa e com exposição no Salão Nobre“, explica José Manuel Rodrigues, lembrando que a iniciativa “Gulbenkian Itinerante” já partilha a programação artística com várias localidades do país, sendo esta a primeira vez que o “riquíssimo acervo” vai ser exibido na região.

O presidente do parlamento regional sublinha, por outro lado, que os madeirenses têm uma “dívida de gratidão” com a Fundação Calouste Gulbenkian, porque as suas bibliotecas itinerantes ajudaram “a formar muitas gerações”.