O príncipe Harry falou pela primeira vez sobre a decisão de se afastarem da família real britânica. “Não havia mesmo outra opção“, garante o Duque de Sussex.

As declarações foram feitas, este domingo em Londres, num evento da Sentebale, uma instituição de caridade que apoia jovens e crianças do Lesoto e do Botswana com VIH. O filho mais novo do príncipe Carlos e da princesa Diana começou por dizer que queria que ouvissem “a verdade” através dele, “não enquanto príncipe, ou duque, mas enquanto Harry”. E explicou que, quando casaram, tanto ele como Meghan estavam “entusiasmados”, “esperançosos” e prontos para “servir”, pelo que foi com “grande tristeza” que tomaram esta decisão.

“A decisão de me afastar, bem como a minha mulher, não foi tomada de ânimo leve. Foram muitos meses de conversas depois de tantos anos de desafios. E eu sei que nem sempre acertei, mas quanto a isto, não havia mesmo outra opção“, afirmou Harry.

No passado dia 8 de janeiro, Harry e Meghan anunciaram que iriam deixar de ser “membros sénior” da família real britânica e que iriam trabalhar para serem independentes a nível financeiro, ainda que continuariam a apoiar a Rainha.

View this post on Instagram

“After many months of reflection and internal discussions, we have chosen to make a transition this year in starting to carve out a progressive new role within this institution. We intend to step back as ‘senior’ members of the Royal Family and work to become financially independent, while continuing to fully support Her Majesty The Queen. It is with your encouragement, particularly over the last few years, that we feel prepared to make this adjustment. We now plan to balance our time between the United Kingdom and North America, continuing to honour our duty to The Queen, the Commonwealth, and our patronages. This geographic balance will enable us to raise our son with an appreciation for the royal tradition into which he was born, while also providing our family with the space to focus on the next chapter, including the launch of our new charitable entity. We look forward to sharing the full details of this exciting next step in due course, as we continue to collaborate with Her Majesty The Queen, The Prince of Wales, The Duke of Cambridge and all relevant parties. Until then, please accept our deepest thanks for your continued support.” – The Duke and Duchess of Sussex For more information, please visit sussexroyal.com (link in bio) Image © PA

A post shared by The Duke and Duchess of Sussex (@sussexroyal) on

Dias depois, o príncipe esteve reunido com Isabel II e, após o encontro, o Palácio de Buckingham emitiu um comunicado em que a Rainha disse respeitar a decisão dos Sussex de “criarem uma nova vida enquanto jovem família”.

Este sábado, o palácio anunciou que será já a partir da próxima primavera que o casal deixará de ter títulos reais — continuarão a ser Duque e Duquesa de Sussex, mas já não serão tratados como “sua alteza real” — e irão perder os financiamentos públicos.

“O que quero deixar claro é que não vamos virar as costas e certamente não vos vamos virar as costas”, disse ainda o Duque de Sussex, este domingo, referindo que o Reino Unido é a sua “casa” e um lugar que “adora”. “Isso nunca irá mudar”.

Harry falou ainda da comunicação social, descrevendo os media como “uma força poderosa”, e acrescentou que tanto ele como a mulher — que está atualmente no Canadá com o filho de ambos — tinham esperança de “continuar a servir a Rainha, a Commonwealth e as associações militares, mas sem financiamento público”.

Infelizmente, isso não foi possível. Aceitei isto, com a consciência que não muda quem eu sou ou o quão empenhado estou. Mas espero que vos ajude a compreender o ponto a que as coisas chegaram. Eu afastaria a minha família de tudo o que alguma vez conheci, de forma a dar um passo em frente em direção ao que eu espero que seja uma vida mais pacífica“, disse ainda Harry, acrescentando “é uma grande honra servir” o seu país e a Rainha.

“Terei sempre o maior respeito pela minha avó, a minha comandante e estou-lhe incrivelmente grato, a ela e ao resto da minha família pelo apoio que demonstraram, tanto a mim como à Meghan nos últimos meses.”

O príncipe referiu ainda que continuará a dedicar-se às suas “instituições de caridade” e às “comunidades militares”. “Estamos a dar um salto de fé. Obrigada por me darem a coragem para dar este próximo passo.”