Ana Gomes não está a considerar uma candidatura socialista à Presidência da República. O socialista Francisco de Assis lançou a hipótese nesta quarta-feira, mas a ex-eurodeputada, em entrevista à RTP 3, disse não estar disponível para se “coartar da liberdade que é essencial” para a sua “capacidade de intervenção cívica”.

Admitindo não ter qualquer dúvida de que Marcelo Rebelo de Sousa se irá recandidatar e que irá ganhar, Ana Gomes frisou que o PS não pode deixar de apresentar um candidato:

“Acho que o PS tem de ter um candidato próprio e não pode não ter candidato ou ainda pior ter mais do que um candidato. Infelizmente, foi isso que aconteceu nas últimas eleições presidenciais”, disse. “Não estou disponível para me coartar da liberdade que é essencial para a minha capacidade de intervenção cívica”.

Questionada novamente sobre uma eventual candidatura presidencial pelo Partido Socialista, Ana Gomes afirmou que isso é “uma questão para o PS considerar”. E se considerar? “Não se incomode com isso”, disse a ex-eurodeputada ao jornalista Vítor Gonçalves. “O primeiro-ministro António Costa jamais permitirá.”

António Costa foi confrontado com a sugestão de Assis, que considera que a antiga eurodeputada é a “escolha natural” que “congrega várias esquerdas”, nesta quarta-feira, durante uma visita às novas instalações da empresa Hovione, em Loures. Aos jornalistas disse: “Isso são comentários que eu não faço”.