Cientistas constataram em laboratório que a exposição a partículas de exaustão de motores a diesel (DEP), um poluente do ar, reduz a capacidade de as células imunitárias de matarem as bactérias Pneumococos, origem mais comum da pneumonia, foi esta quinta-feira divulgado.

O estudo, publicado na revista da especialidade Journal of Allergy and Clinical Immunology, foi feito com ratinhos in vivo e com células humanas.

Os investigadores descobriram que a exposição continuada às DEP, poluente que inclui fuligem e aerossóis, leva a que os macrófagos — células imunitárias que protegem o organismo de infeções — tenham menos capacidade para eliminar a bactéria Pneumococos, refere em comunicado a universidade britânica de Liverpool, que participou na investigação.

Nestas condições, a bactéria sobrevive mais facilmente nas vias respiratórias, invade os pulmões e provoca uma inflamação que pode levar eventualmente a Pneumococos a entrar no sangue, provocando uma doença grave, adianta o comunicado.

A Organização Mundial de Saúde estima que a poluição atmosférica mata anualmente sete milhões de pessoas, das quais 490 mil por pneumonia.

Numa pessoa saudável, a Pneumococos coloniza, sem causar malefícios, os tecidos nasais. Só quando acede aos pulmões e ao sangue é que se torna numa ameaça.