O ciclista sul-africano Reinardt Janse van Rensburg esclareceu esta quinta-feira que o português Rui Costa não foi responsável pela sua queda na segunda etapa da Volta à Arábia Saudita, culpando um toque na roda de um companheiro pelo acidente.

“Ontem [na quarta-feira], caí a 12 quilómetros da meta. Após muita especulação nos meios de comunicação social, decidi tomar o meu tempo para processar a situação antes de responder. Houve sugestões de que teria sido o Rui Costa a fazer-me cair, ao empurrar-me com a sua mão, fazendo-me perder o equilíbrio”, começou por escrever o ciclista da NTT Pro Cycling na sua conta na rede social Twitter.

Van Rensburg assume que a queda foi iniciada por si, ao tocar com a roda na bicicleta do companheiro de equipa que seguia à sua frente, um toque que o desequilibrou.

Depois, bati na bicicleta do Marco Marcato. Nesse momento, o Rui, que já tinha a mão à frente da sua cara, deu-me um empurrão como uma reação para se proteger. Acontece que o momento do toque ocorreu quando eu tinha a minha roda da frente presa entre a bicicleta do Marco e o pé dele”, detalhou.

O sul-africano, que venceu duas etapas da Volta a Portugal em 2012, disse ter-se apercebido de que o português da UAE-Emirates, que é segundo na geral, poderia ter problemas com os comissários da corrida, que poderiam inclusive tê-lo expulsado.

“E, se é verdade que a sua reação não me ajudou a evitar a queda, senti que esse tipo de punição seria demasiado severa neste caso, uma vez não foi propositadamente que ele me pôs em perigo, sendo que, a meu ver, se tratou de uma mera reação”, observou, dizendo esperar que o assunto fique encerrado.

Já na quarta-feira, Rui Costa tinha salientado que o seu gesto tinha sido de proteção e revelado que Van Rensburg tinha falado com ele após a segunda etapa para esclarecer que a queda tinha sido motivada por um toque de outro ciclista.