A PSP investiga as causas de um incêndio que na madrugada de terça-feira destruiu um automóvel estacionado numa rua do Porto e os Bombeiros Sapadores registaram “três ou quatro” incêndios em contentores, um deles nas primeiras horas desta quarta-feira.

Segundo fontes da PSP e do Batalhão de Sapadores Bombeiros, um incêndio destruiu, durante a madrugada de terça-feira, um automóvel que se encontrava estacionado na Rua Dr. Alves da Veiga, no Porto.

Estamos a apurar o que se passou através da nossa Divisão de Investigação Criminal. O proprietário disse que tinha o carro estacionado naquela rua há dois dias e que não se apercebeu que tivesse algum problema mecânico”, disse fonte do Comando Metropolitano do Porto da PSP.

A PSP indica também que, já na madrugada desta quarta-feira, cerca da 1h20, um incêndio destruiu um ecoponto da Rua da Alegria, acrescentando que, até cerca das 12h30, não tinha registo de casos similares. Já o comandante do Batalhão de Sapadores Bombeiros, Carlos Marques, afirmou que ultimamente “aconteceram três ou quatro situações” do género, acrescentando que “não foram todas no mesmo dia”.

Volta e meia temos incêndios em contentores e detritos, mas não podemos falar de um aumento desse tipo de ocorrências”, disse à agência Lusa o comandante do Batalhão de Sapadores Bombeiros, Carlos Marques.

Quanto a incêndios em viaturas estacionadas na via pública, o ocorrido na terça-feira na Rua Dr. Alves da Veiga, “foi um caso isolado”, segundo o comandante. “Não tem havido incêndios em viaturas”, frisou.

A menção a estes casos de alegado vandalismo ocorre numa altura em que várias estátuas do Porto surgiram pintadas com lágrimas azuis. Na terça-feira, o monumento aos Mortos da Grande Guerra e a estátua de Humberto Delgado, na Praça Carlos Alberto, surgiram com lágrimas azuis, pintadas a todo o comprimento, o mesmo sucedendo no Jardim da Cordoaria, onde várias das estátuas do local foram também pintadas, entre elas o busto de António Nobre.

Fonte da autarquia disse à agência Lusa, na terça-feira, que as estátuas em causa “já estão sinalizadas para serem intervencionadas”. Já esta quarta-feira, a PSP disse não ter, por ora, indicação de qualquer queixa sobre estes atos de vandalismo.