Maria Monda é um trio feminino de canto à capella que editou este mês o seu álbum de estreia, com título homónimo, tendo gravado, entre outros, temas de Amália, José Afonso e Milton Nascimento.

O trio é composto por Susana Quaresma e Sofia Adriana Portugal, vindas do universo da música clássica, e Tânia Cardoso, de artes do palco, que se encontraram num mestrado de teatro musical na Escola Superior de Música de Lisboa. O trio formou-se graças a um projeto de música para bebés, no âmbito do coletivo Teatro Monda.

Susana Quaresma, em declarações à agência Lusa, reconheceu que este projeto é “uma lufada de ar fresco” por terem “quebrado barreiras”, nomeadamente a escolha de repertório com poemas de Almada Negreiros ou Fernando Pessoa, pelo “uso de muitas percussões” e “conseguir certas harmonias apenas a três vozes”.

O CD de estreia, que chegou às lojas no final da semana passada, levou dois anos a construir, um processo que começou com “um pequeno apoio da Fundação GDA”, e contou com recolha voluntária de fundos.

“Rondel do Alentejo”, de Almada Negreiros e José Manuel David, abre o álbum que conta dez temas. A esta canção de 1913, que Amália gravou, o trio juntou excertos de outro poema de Almada, “Apaga apaga”.

O alinhamento inclui “Menino d’Oiro” e “Que Amor Não Me Engana”, ambos com letra e música de José Afonso, “Olha Maria”, de Chico Buarque e Tom Jobim, ou “A monte I”, de Amélia Muge, letra e música.

A escolha dos temas variou entre “o gosto pessoal” de cada uma das intérpretes e do coletivo Teatro Monda, “sugestões de amigos” e “poesia que [lhes foi] parar às mãos”, disse.

Susana Quaresma referiu que o percurso de cada cantora, “influenciou as escolhas”: Susana, vinda da música erudita, tal como Sofia, “que já cantou fado e música tradicional”, e Tânia, do teatro musicado.

O tema que fecha o CD, “Barqueirinho”, uma recolha do etnólogo Armando Leça, em Buços, no concelho de Cabeceiras de Bastos, no Minho, foi uma proposta de Sofia Portugal, autora dos arranjos musicais, sendo os “ambientes sonoros” de Tânia Cardoso.

Os arranjos musicais foram feitos pelas três e, em alguns casos pediram ajuda a outros compositores. São os casos do José Manuel David, para “Rondel do Alentejo”, e de Rodrigo Crespo, que assina a música de “Ser Gentia”, uma letra de Adriana Portugal, e de “Ó Sino da Minha Aldeia”, de Fernando Pessoa.

Quanto à construção dos arranjos, Susana Quaresma citou as canções “Olha Maria” e “Menino d’Oiro” como “os mais complexos”, ambos de Sofia Portugal.

A intérprete disse ainda que as canções “Olha Maria” e “Que Amor Não Engane” “têm uma extensão melódica bastante grande, com a melodia principal a viajar tanto por uma zona mais aguda, como por uma mais grave, mas que acaba por ser distribuída” pelas três intérpretes, que a levam “a braços”.

“Nós as três, a solo, temos timbres e colocações de voz diferentes, e é interessante perceber essa individualidade. Mas quando estamos em uníssono, estamos todas na mesma textura”, disse.

Susana Quaresma realçou ainda “a sensibilidade” do técnico de som Rui Ferreira, que gravou “e acabou por assumir a produção musical”.

As Maria Monda vão participar em vários festivais nacionais, a partir de junho, a convite da Fundação Inatel.