A programação da 40.ª edição do Fantasporto, que se prolonga até 8 de março, começa esta terça-feira com o filme “Blade Runner”, de Ridley Scott. O evento decorrerá no grande auditório do teatro municipal Rivol.

Sob o título de “The Best of Fantas”, o festival internacional de cinema do Porto vai ainda exibir “Drácula de Bram Stoker”, de Francis Ford Coppola, recordando que ambos os trabalhos marcaram presença no evento, em 1983 e 1993, respetivamente.

Na quinta-feira, o Fantasporto celebra os 40 anos de “O Touro Enraivecido”, de Martin Scorsese, dando-se a abertura oficial na sexta-feira, numa noite em que é exibido “Adverse”, de Brian Metcalf, e “A Night of Horror: Nightmare Radio”, de múltiplos realizadores, enquanto no pequeno auditório é apresentado “Our Evil”, de Samuel Galli, e “Still/Born”, de Brandon Christensen.

A escolha do homenageado com o Prémio Carreira deste ano recaiu sobre o realizador galês Julian Richards, que a organização destacou como “um dos maiores distribuidores de cinema fantástico do mundo”, e uma “pessoa de grande empenho na divulgação” desse género, com a exibição de vários filmes da sua autoria e da sua companhia Jinga Films.

Sobre o cinema nacional, o festival apresenta este ano duas competições: o prémio cinema português — melhor filme e o prémio cinema português — melhor escola, em que os filmes para a primeira foram uma seleção da organização e os da segunda foram escolha das próprias instituições.

“Este ano, todos os filmes portugueses são inéditos e ainda pedimos às escolas para apresentarem um candidato para o prémio de melhor filme. Há uma certa fusão dos dois prémios. Há 38 filmes a concorrerem ao melhor filme português — duas longas-metragens e o restante são ‘curtas’ de vários tamanhos de várias escolas e universidades”, explicou à Lusa a diretora do Fantasporto Beatriz Pacheco Pereira.

“Por Detrás da Moeda”, de Luís Moya, é um documentário que acompanha os músicos de rua da cidade portuense, e “Os Conselhos da Noite”, de José Oliveira, é um drama que acompanha um ex-jornalista que regressa à terra natal de Braga, depois de descobrir que tem cancro, com o músico Adolfo Luxúria Canibal no elenco.

Além destas duas longas-metragens portuguesas, o Fantasporto vai apresentar também um documentário de cerca de duas horas sobre os 40 anos do festival, realizado por Isabel Pina, que se estreia no dia 6 de março, e que se mantém em exibição no dia seguinte, acompanhado por um livro.

Pelo terceiro ano consecutivo, o festival continua a mostra dedicada ao cinema de Taiwan, desta feita intitulada “The Wheel of Fortune”, numa viagem entre longas e curtas-metragens, a filmes clássicos e recentes, que conta com sessões diárias a partir de sábado.