fintech [startup de tecnologia financeira] britânica Revolut angariou 500 milhões de dólares (cerca de 460 milhões de euros) numa ronda de financiamento série D. O montante foi investido pelo grupo norte-americano TCV. De acordo com a Revolut, o valor adquirido fez subir a avaliação da empresa para 5,5 milhões de dólares (cerca de 5 mil milhões de euros).

A nova ronda de capital teve como base “o sucesso do produto – elevada procura – e forte desempenho financeiro da empresa”, diz a Revolut. Com este dinheiro, a Revolut diz que vai expandir produtos, como os depósitos remunerados com juros altos, atualmente só disponível no Reino Unido. Além disso, a fintech afirma que vai continuar a fortalecer a oferta de planos premium pagos para clientes.

Sobre o investimento, Nik Storonsky, fundador e presidente da Revolut diz: “Temos uma missão que é construir uma plataforma financeira global –  uma única app onde os nossos utilizadores podem gerir todas as suas necessidades financeiras diárias, e este aumento de capital demonstra a confiança dos investidores no nosso modelo de negócio. No futuro, as nossas prioridades são o desenvolvimento das operações bancárias na Europa, o aumento do número de pessoas que usam a Revolut numa base diária, e caminhar no sentido da rentabilidade”

Já John Doran, sócio da TCV, afirmou: “Aliando tecnologia moderna, a um foco incansável em agradar os clientes, a Revolut construiu uma experiência de cliente verdadeiramente excecional, que excede tudo o que os bancos existentes podem oferecer”.

A Revolut foi lançada em julho de 2015. Em quase cinco anos, já acumulou mais de 10 milhões de clientes em todo o mundo. Em novembro de 2019, o presidente executivo da empresa foi um dos oradores da Web Summit, que decorreu em Lisboa.