O secretário-geral da ONU disse esta quinta-feira esperar que o acordo de cessar-fogo entre a Turquia e a Rússia para a província de Idlib, na Síria, leve ao fim “imediato e duradouro” das hostilidades, em benefício da população.

Num comunicado, António Guterres diz ter tomado nota do acordo turco-russo e sublinha que a população do nordeste da Síria já foi vítima de “um sofrimento enorme”. António Guterres pede também um regresso ao processo político para acabar com a guerra na Síria.

O cessar-fogo que entrou em vigor à meia noite (22h em Lisboa) levou a uma calma “relativa” na região de Idlib, segundo o Observatório Sírio dos Direitos Humanos.

De acordo com a organização não-governamental, apesar do fim dos ataques aéreos russos e sírios “vários disparos de artilharia” por “forças do regime sírio” contra grupos rebeldes atingiram áreas controladas por jihadistas e rebeldes das províncias de Alepo e da Hama, ao lado da província de Idlib.

A ofensiva das forças de Damasco em Idlib, o último bastião ‘jihadista’ e rebelde na Síria e onde estão presentes tropas turcas, provocou uma grave crise humanitária, com cerca de um milhão de deslocados que se dirigiram para a fronteira com a Turquia.

O conflito na Síria, iniciado em 2011, já provocou cerca de 380.000 mortos.