A Mazda trabalha afincadamente em novas soluções para o futuro, em que é necessário diminuir os consumos para cortar nas emissões de poluentes, bem como de CO2. Isto passa pela oferta de carros eléctricos, de que a marca japonesa já avançou com uma amostra, através do MX-30, que será ampliada em breve. Mas passa também por soluções híbridas plug-in em que o sofisticado motor japonês, o Skyactiv-X, pode ter uma importante palavra a dizer.

Chegaram a Portugal primeiros carros a “diesolina”

Mas enquanto prepara tudo isto para um futuro muito próximo, a Mazda resolveu dar uma espreitadela ao passado, relembrando o primeiro automóvel que fabricou, em 1960. Denominado R360 Coupé, o primeiro modelo da marca nipónica era específico para o mercado japonês, integrado na categoria dos veículos mais pequenos, os apelidados Kei Car. O sucesso foi tal que, logo no primeiro dia, comercializou 4500 unidades. Ao fim do primeiro ano, dominava 2/3 do segmento e detinha 15% do mercado total japonês.

4 fotos

Grande parte do sucesso do R360 Coupé não se ficou a dever à sua estética, mas sim a um argumento técnico que a Mazda implementou. Enquanto os seus rivais adoptaram motores a dois tempos, mais pequenos, mais baratos e mais leves, mas igualmente mais poluentes e mais fumarentos, a Mazda optou por uma unidade a quatro tempos.

Com apenas 16 cv, o que só permitia ao R360 Coupé assegurar algum dinamismo por pesar somente 380 kg, o primeiro Mazda era capaz de atingir 90 km/h, um valor entusiasmante no Japão em plenos anos 60. E um preço de 300.000 yenes, ou seja, cerca de 7500€, com uma conversão ajustada à inflacção.

Consciente que tinha um motor tendencialmente maior e mais pesado, a Mazda adoptou cabeças do motor em alumínio e os cárteres da transmissão em magnésio. O alumínio passou igualmente a ser o material eleito para o capot, com o plexiglass (plástico transparente) a ser usado no vidro traseiro. Também as suspensões, independentes nas quatro rodas, ajudavam o R360 a colocar-se acima da concorrência em conforto.