A EDP acordou a venda, através de cinco transações individuais, de 70,6% do défice tarifário de 2020, “relativo ao sobrecusto com a produção em regime especial”, por 825 milhões de euros, foi esta segunda-feira comunicado ao mercado.

A EDP Serviço Universal, S.A., comercializador de último recurso do sistema elétrico português, detido a 100% pela EDP — Energias de Portugal, S.A., acordou a venda sem recurso, através de cinco transações individuais, de 70,6% do défice tarifário de 2020 relativo ao sobrecusto com a produção em regime especial, por um montante de 825 milhões” de euros, lê-se no comunicado remetido à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

De acordo com a elétrica, este défice é resultante do “diferimento por cinco anos da recuperação do sobrecusto de 2020” com a compra de energia aos produtores em regime especial, incluindo os ajustamentos de 2018 e 2019.

Na sessão desta segunda-feira da bolsa, as ações da EDP caíram 7,23% para 4,06 euros.