As fábricas da Porsche em Zuffenhausen e Leipzig, Alemanha, vão encerrar por um período de, no mínimo, duas semanas. Em comunicado, a marca que integra o Grupo Volkswagen justifica a medida com a necessidade de responder à pandemia do coronavírus, cuja taxa de contágios tem vindo a subir.

Segundo a Porsche, as fábricas em causa vão suspender a produção a partir do próximo dia 21, sábado, sem que haja nesta fase grande confiança para avançar uma data provável para o restabelecimento da actividade normal. Aliás, o próprio CEO do fabricante de Estugarda realça a imprevisibilidade associada à Covid-19:

Ainda não é possível saber quais serão as reais consequências. Portanto, é muito cedo para fazer quaisquer previsões. O que é certo é que 2020 será um ano extremamente desafiador”, afirmou Oliver Blume, com a marca a admitir desde já que terá de se preparar para uma queda nas vendas.

A paragem da actividade em Zuffenhausen e Leipzig, de momento prevista até ao início de Abril, poderá vir a prolongar-se. Por exemplo, se continuarem a registar-se dificuldades a nível do aprovisionamento de componentes, sem os quais a produção fica comprometida.

De acordo com a Porsche, a paralisação agora anunciada pretende, sobretudo, acautelar a saúde e a segurança dos trabalhadores que, ao ficarem em casa, minimizam riscos de contágio. Daí que a empresa tenha adoptado o trabalho à distância, nas funções em que tal é viável. As viagens a trabalho foram canceladas e as reuniões decorrem por videoconferência.