O presidente do Belenenses SAD, Rui Pedro Soares, considerou esta sexta-feira “impensável” que a Primeira Liga portuguesa de futebol não se conclua devido à pandemia da Covid-19, assinalando que, após o regresso à normalidade, deve ser essa a prioridade.

Os campeonatos profissionais não vão acabar, isso nem sequer está em cima da mesa. Quando recomeçarmos a jogar, depois de termos permissão para isso, vamos continuar a cumprir as 10 jornadas que faltam de igual forma. Quando se terminar este campeonato, começa-se o seguinte”, sublinhou.

Em videoconferência de imprensa promovida pela formação lisboeta, Rui Pedro Soares ressalvou ainda que o intervalo entre o final da temporada 2019/20 e o início da época seguinte poderá ser “mais pequeno que o costume”.

Rui Pedro Soares realçou que é “prematuro” falar sobre a estabilidade financeira dos clubes de futebol portugueses, que “é uma indústria diferente das outras”, mas explicou, com dados do Belenenses SAD, como o facto de 72% dos custos decorrerem de salários, o impacto financeiro que esta paragem provocará no futebol.

Dependemos de algumas receitas. As receitas televisivas são 50% das receitas previsíveis numa época, mais as receitas de bilheteira e outro tipo de receitas, inclusive, venda de direitos de jogadores. As receitas que considerávamos certas, neste momento temos de as considerar como uma dúvida”, contou.

O dirigente do atual 13.º classificado da Primeira Liga, com 26 pontos, alertou ainda para as “necessidades de financiamento” dos clubes, como a antecipação das receitas televisivas, que “não é possível” acontecer.

“Vamos ter problemas de tesouraria nesta indústria, do ponto de vista global, mas não conseguimos antecipar a intensidade e como vamos responder. Quando for possível, com certeza que, um dia, o futebol vai regressar”, assegurou.

O Belenenses SAD tem seis jogadores no plantel principal que terminam contrato em 30 de junho, revelou o presidente, que confessou não saber como se irá resolver o problema, tendo apenas a certeza de que “o futebol vai ser penalizado por uma queda abrupta da economia provocada por uma paragem”.

É nossa vontade continuar com os jogadores [em final de contrato], mas não sabemos que condições podemos oferecer e que condições eles aceitam. É um momento de incerteza”, disse, reforçando que “é cedo para conseguir prever todas as consequências desta queda abrupta”.

A direção do Belenenses SAD e o treinador Petit têm mantido contacto e, para a próxima temporada, a prioridade passa por “tentar manter os jogadores que acabam contrato e promover três ou quatro jogadores da equipa de sub-23”, mas Rui Pedro Soares não descarta contratações, face ao interesse de outros clubes em atletas dos ‘azuis’.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia de Covid-19, já infetou cerca de 540 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram perto de 25 mil. Dos casos de infeção, pelo menos 112.200 são considerados curados. Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Em Portugal, registaram-se 76 mortes e 4.268 infeções confirmadas, segundo o balanço feito esta sexta-feira pela Direção-Geral da Saúde. Dos infetados, 354 estão internados, 71 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 43 doentes que já recuperaram.

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 2 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 0h de 19 de março e até às 23h59 de 2 de abril.