O artista português Bordalo II criou uma peça para ser leiloada, cujo valor reverterá “integralmente” para cinco organizações não-governamentais (ONG) médicas que trabalham em campos de refugiados na Grécia.

A peça “Young Black Panther” (Jovem Pantera Negra, em português), de acordo com um comunicado esta quinta-feira divulgado pelo artista, está a ser leiloada “online” no site da Cabral Moncada Leilões (www.cml.pt), que “prescindiu da sua comissão”, e “o montante da venda reverterá integralmente para as cinco ONG médicas que se encontram a trabalhar nos campos de refugiados em Lesbos e Samos”.

O leilão decorre até às 21h de segunda-feira, 27 de abril. A base de licitação da peça é de cinco mil euros. Pelas 13h30 desta quinta-feira, “Young Black Panther” tinha atingido os 23 mil euros.

Bordalo II associa-se desta maneira à campanha de angariação de fundos da associação Humans Before Borders, A Solidariedade Não Faz Quarentena, “numa altura em que esta e outras ONG aguardam que o Governo português efetive a intenção de acolher refugiados menores não acompanhados, que se encontram atualmente em campos de acolhimento sobrelotados na Grécia”.

A peça “Young Black Panther” pertence à série “Big Trash Animals” (“Grandes Animais de Lixo”, em tradução livre). A série é composta por retratos de animais e, como explicou o artista à Lusa em novembro de 2018, é uma “forma de fazer retratos da natureza, uma composição das vítimas com aquilo que as destrói”.

Artur Bordalo (Bordalo II – o primeiro era o avô, o artista plástico Real Bordalo), nascido em Lisboa, em 1987, começou pelo “graffiti”, que o preparou para o trabalho pelo qual se tornou conhecido: esculturas feitas com recurso a lixo e desperdícios. Nos últimos anos, Bordalo II tem “espalhado” animais um pouco por todo o mundo.

Em Portugal, é possível ver-se animais criados por Bordalo II em cidades como Lisboa, Estarreja, Loures, Vila Nova de Gaia e Covilhã.