Muçulmanos na República da Índia e do Bangladesh assinalaram esta segunda-feira o fim do Ramadão com orações por “um mundo livre do coronavírus” em celebrações marcadas pelas regras de distanciamento social.

Na Índia, dirigentes políticos e imãs apelaram aos fiéis para respeitarem as normas sanitárias durante as cerimónias religiosas com orações que “pedem o fim da pandemia”.

A mesquita de Mughal-era Jamia em Nova Deli continua encerrada estando as forças de segurança presentes no local para evitar a eventual aglomeração de pessoas.

No Bangladesh, as autoridades apelaram às populações no sentido de evitarem a participação em cerimónias religiosas que costumam juntar milhares de muçulmanos em campos abertos e aconselham para que se mantenham as distâncias sanitárias junto às mesquitas.

No país, com mais de 300 mil mesquitas, milhares de pessoas juntaram-se junto aos templos mas mantiveram a distância de segurança, rezaram de máscara e muitos fiéis levavam luvas de borracha, de acordo com os repórteres da Associated Press.

Na República da Índia a pandemia de Covid-19 fez quatro mil mortos e registam-se 138 mil casos de infeção.  No Bangladesh, o balanço oficial é de 480 mortos e o número de contágios de Covid-19 aumentou para 33 mil.