A DS vai lançar uma versão híbrida plug-in (PHEV) do DS 7 Crossback, denominada E-Tense 225 que, face à já disponível E-Tense 4×4, abre mão de 75 cv e da tracção traseira, mas deverá oferecer um preço cerca de 5000€ inferior, ou seja, 10%. Para muitos condutores, esta mecânica amiga do ambiente e apenas tracção à frente pode ser mais interessante do que a versão com tracção integral.

A DS tem no DS 7 a sua versão topo de gama, pelo menos para o mercado europeu, pois o grande DS 9 não parece tão ajustado aos mercados do Velho Continente. O 7 é um SUV com dimensões interessantes, espaçoso mas não excessivamente grande, bem construído, repleto de equipamento e com motorizações para todos os gostos pois, além das unidades a gasolina e a gasóleo, propõe soluções híbridas plug-in para quem pretende mais potência e mais economia, a par de vantagens fiscais que tornam o produto mais competitivo e acessível.

Um SUV híbrido plug-in que surpreende qualquer um

O DS 7 Crossback E-Tense 4×4 já foi aqui analisado, pelo que desta vez vamos concentrar-nos na novidade, uma versão mais simples e acessível, com uma mecânica similar, em que um motor a gasolina é ajudado por um motor eléctrico, por sua vez alimentado por uma bateria. Pequena, mas o suficiente para assegurar a capacidade de permitir mais de 50 km em modo eléctrico e fornecer energia no momento de ajudar o motor a combustão, o que permite reduzir os consumos e, por tabela, as emissões.

Apesar das semelhanças entre as versões PHEV 4×4 e 4×2 do DS 7, há também diferenças. O motor a gasolina é o mesmo, o 1.6 sobrealimentado que não funciona segundo o ciclo Miller, mas que na versão com tracção integral debita 200 cv, enquanto na versão com tracção à frente surge artificialmente limitado a 180 cv, para criar a diferença.

O motor eléctrico de apoio ao gasolina está integrado na caixa de velocidades e fornece 110 cv e 320 Nm, ou seja, mais força do que os 300 Nm do motor a gasolina. E é aqui que surge a maior diferença entre ambas as versões, pois a 4×4 monta no eixo traseiro um segundo motor eléctrico, com 110 cv e 166 Nm, unidade que serve apenas para assegurar a tracção integral em pisos mais escorregadios. Outra das diferenças tem a ver com a potência total do conjunto, pois se o E-Tense 4×4 reivindica 300 cv, a versão 4×2 fica-se pelos 225 cv.

Para servir os motores eléctricos está a mesma bateria com 13,2 kWh, que assegura os mesmos 58 km (55 km na versão 4×2) em modo exclusivamente eléctrico. E é esta vantagem que permite ao DS 7 Crossback E-Tense 4×4 anunciar um consumo de 1,3 l/100 km e 30 g de CO2/km (em WLTP), isto partindo do princípio que se considera apenas os primeiros 100 km e que a bateria está recarregada no início do percurso.

Os DS 7 E-Tense podem ainda contar com uma repleta lista de equipamento opcional, que obviamente implica um investimento adicional. Assim, o DS Night Vision está disponível por 1200€ (já com IVA), para o DS Active  LED Vision ser proposto por 1100€ e o pack formado pelo DS Connected Pilot, DS Driver Attention Monitoring e o DS Safety por 1800€.

O novo DS 7 Crossback E-Tense 225 vai iniciar o período de encomendas para o mercado português em Julho, estando a chegada das primeiras unidades agendada para Novembro.

Os preços ainda não estão definidos mas, segundo a marca, deverão respeitar a diferença que já existe nos Peugeot 3008 e Opel Grandland X, entre as versões 4×2 e 4×4. Isto significa que, no nível de equipamento Be Chic, o mais acessível, o DS 7 Crossback E-Tense 225 deverá ser proposto por pouco mais de 46.500€, na medida em que a versão de 300 cv com tracção integral é comercializada por 51.550€. Para quem deseje um SUV luxuoso e bem equipado, mas não faça questão em possuir uma versão com tracção integral, o novo DS 7 PHEV 4×2 pode ser uma proposta interessante, especialmente para empresas, que podem recuperar o IVA, entre outras vantagens fiscais.