As autoridades de saúde admitem que apenas um terço dos casos de infeção por Covid-19 estará a ser detetado em Espanha, segundo informações avançadas pelo El País, que cita fonte do Ministério da saúde espanhol.

Apesar de o número ser baixo, é ainda assim maior do que há alguns meses. Fernando Simón, diretor do Centro de Controlo de Alertas e Emergências Sanitárias (CCAES) espanhol, explicou ao mesmo jornal que no início da epidemia apenas 10% das infeções eram detetadas — o que significa que atualmente há um maior controlo da doença.

É verdade que nos podem escapar alguns [casos]. Espero que não tantos como os que nos escaparam no início. A má notícia é que alguns podem escapar-nos e um apenas que nos escape pode gerar uma transmissão comunitária”, explica Fernando Simón.

Mas os especialistas temem que esteja ativa uma “transmissão contínua” e “silenciosa” já que quatro em cada dez doentes não têm qualquer ligação conhecida com uma pessoa infetada. Isto significa que apenas 60% dos doente sabem que estiveram com uma pessoa infetada com a Covid-19 que lhes pode ter transmitido. Os restantes 40% não conseguem identificar de onde partiu o contágio.

Enquanto continuarmos a localizar os surtos, tudo ficará bem. O problema é se uma transmissão da comunidade aparecer repentinamente em vários lugares, com mais e mais casos sem ligações [epidemiológicas]”, disse ao El País Rafael M. Ortí Lucas, presidente da Sociedade Espanhola de Medicina Preventiva, Saúde Pública e Higiene.

A média de casos de infeção detetados pelas autoridades de saúde em Espanha foi de 20% desde que o país começou a aliviar as medidas de confinamento. Um valor que nas últimas semanas subiu para entre 30 e 35% — um cálculo feito pelo CCAES comparando os dados oficiais dos relatórios diários com os dos testes sorológicos.

O caso italiano. Ninguém espera os assintomáticos, as pessoas que propagam o vírus sem nunca ficarem doentes

Uma das razões para o facto de mais de 60% dos infetados não serem identificados prende-se com os doentes assintomáticos. Segundo detalha o El País, um terço das pessoas com anticorpos SARS-CoV-2 não tinha sintomas da doença. E a percentagem é ainda maior entre os novos casos detetados: seis em 10 eram assintomáticos.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR