A mãe de Beatriz Lebre, a jovem assassinada por Rúben Couto, transmitiu esta segunda-feira as condolências à família do homicida que foi encontrado morto no domingo.

“Não é possível medir sofrimentos, mas uma morte é uma morte. Quando morre uma criança ou um jovem é sempre uma perda para as famílias como para a sociedade. É perda de património humano”, lamentou Paula Lebre numa publicação na rede social Facebook.

Tenho dito!Nunca fui de acordo e continuo ainda a não concordar com a pena de morte (em qualquer circunstancia). Não…

Posted by Paula Bochecha Lebre on Monday, July 6, 2020

“Sirva esta história para corrigir e melhorar os nossos valores”, sublinhou.

Rúben Couto, homicida confesso da colega de faculdade Beatriz Lebre, foi encontrado morto na cela do Estabelecimento Prisional de Lisboa às 23h de domingo, segundo o Correio da Manhã.

O advogado da família, Miguel Matias, confirmou ao jornal que a família já foi informada da morte do jovem, que estava a ser vigiado de hora a hora na cela – pelo que terá morrido entre as 22h e as 23h.

Segundo o Correio da Manhã, a morte está a ser tratada como um suicídio. O jovem já tinha tentado tirar a própria vida na primeira noite após ter sido detido, cortando os pulsos e acabando hospitalizado.

Rúben Couto terá espancado até à morte a colega com quem estava a estudar num mestrado em Psicologia no ISCTE. Foi detido a 27 de maio, confessando o assassínio da jovem de Elvas, com quem terá mantido uma relação amorosa e em relação à qual teria uma obsessão.