Uma app para ajudar jovens vítimas, agressores e observadores de ciberagressão venceu a 2.ª edição do prémio ‘Transforma TI’, em Valongo, destinado a valorizar aplicações tecnológicas que resolvam problemas sociais, anunciou hoje a câmara municipal.

Seis projetos apresentaram-se a concurso na edição de 2020, cuja decisão decorreu na quarta-feira à noite em Valongo e premiou o projeto de Maria Vale, denominado App: #CiberAmigo.

Esta aplicação, lê-se na informação disponibilizada pela autarquia, pretende dar “resposta aos problemas adjacentes à ciberagressão, dando a oportunidade de integrar o tema no currículo escolar, constituindo os professores e psicólogos agentes importantes neste combate e fornecer informação aos adolescentes acerca do tema e das suas dinâmicas, desconstruindo ciber(mitos)”.

Ao mesmo tempo, continua a descrição, abre a “possibilidade dos adolescentes que sejam/tenham sido vítimas, agressores e observadores pedirem ajuda/denunciar, garantindo-lhes uma resposta adequada/efetiva”.

Criado em 2018, o prémio que oferece 1.500 euros ao projeto vencedor, surgiu para, disse à Lusa o presidente da autarquia, José Manuel Ribeiro “estimular a transformação de ideias inovadoras em projetos de empreendedorismo social, recorrendo ao talento tecnológico dos jovens do concelho”.

Programado no âmbito do projeto Mudar para a inovação (Switch to innovation, em inglês), as app’s “foram desenvolvidos ao longo de seis meses no Centro de Cidadania Digital, em Valongo”, acrescentou o autarca.

No segundo lugar ficou a aplicação “Baby Upload” de “partilha e entreajuda entre pares, na vivência da gravidez e, ao mesmo tempo, a escassez de informação fidedigna e de confiança quando se recorre a espaços de partilha na internet” e em terceiro o “Ninho” para ajudar os estimados “10 mil animais que anualmente são abandonados em Portugal”, acrescentou a câmara.