A Câmara Municipal de Oeiras aprovou esta quarta-feira por unanimidade o protocolo de cooperação que visa dar início aos estudos de viabilidade do projeto do metro de superfície que ligará este município, Lisboa e Loures.

O anúncio da intenção de levar a cabo este projeto tinha sido feito há uma semana, através de um comunicado conjunto das Câmaras Municipais de Oeiras, Lisboa e Loures.

Esta proposta para a elaboração dos estudos de viabilidade do projeto, que terá nesta fase um custo total de cerca de 3,3 milhões de euros, também já foi apreciada e aprovada pelos municípios de Lisboa e de Loures.

Em comunicado, a Câmara Municipal de Oeiras adianta que caberá ao município suportar um investimento de cerca de 503 mil euros para os estudos prévios.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A maior fatia caberá ao município de Lisboa, que contribuirá com 1,6 milhões de euros.

Já o município de Loures irá investir cerca de 1,2 milhões de euros.

Através da celebração deste protocolo, todos os intervenientes assumem o compromisso mútuo de, concertadamente, desenvolverem todos os esforços necessários ao planeamento e coordenação do projeto”, sublinha o comunicado da Câmara de Oeiras.

A nota acrescenta que, após a assinatura, caberá ao Metropolitano de Lisboa desenvolver, no prazo de 14 meses, os estudos prévios, a avaliação da viabilidade e a conceção do projeto.

No comunicado enviado há uma semana, os municípios referem que a obra para a construção do metro de superfície representa um investimento de cerca de 490 milhões de euros.

A nova linha terá uma extensão de cerca de 24,4 quilómetros e fará as ligações entre Cruz Quebrada (Oeiras) e Alcântara (Lisboa) e entre Santa Apolónia (Lisboa) e Sacavém (Loures).