“Tenho consciência de que para falar de sucesso na Liga Europa temos de passar primeiro o Wolfsburgo nos oitavos de final. Ainda falta disputar a segunda mão e, neste momento, falar da final eight sem ultrapassarmos o Wolfsburgo não faz sentido nenhum. Mas sim, claro que gostaria muito de jogar a final. Percorremos um caminho e acho que para o continuarmos temos de ultrapassar o Wolfsburgo para depois começar a construir e ir construindo para ir até onde nós queremos”.

As palavras são de Luís Castro, no final de junho. Nessa altura, ainda sem local definido nem para a segunda mão dos oitavos de final nem para a final eight da Liga Europa, o treinador português do Shakhtar Donetsk referia e sublinhava que os ucranianos ainda tinham de ultrapassar o Wolfsburgo para poderem sonhar com voos mais altos na competição europeia. Em entrevista ao programa “Nem Tudo o Que Vai à Rede é Bola” da Rádio Observador, Luís Castro falou sobre o título conquistado na Ucrânia, o 13.º consecutivo para o clube e com 23 pontos de diferença para o Dínamo Kiev, mas não escondeu que o azimute já estava totalmente dedicado à Liga Europa.

Jesus, Marco, Pochettino: quem vai suceder a Lage

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.