O Governo poderá suspender a entrada em vigor da proibição de uso de plásticos de utilização única nos restaurantes devido à pandemia da Covid-19, noticia esta quinta-feira o Jornal de Negócios.

Em setembro do ano passado, foram aprovadas as leis sobre a proibição dos sacos de plástico para a fruta nos supermercados e os plásticos de uso único na restauração, tendo sido dado um ano aos operadores para se adaptarem às novas regras.

A partir do dia 3 de setembro, cafés e restaurantes ficam proibidos de servir alimentos e bebidas em louça de plástico de uso único.

Porém, a pandemia da Covid-19 veio complicar a situação. Muitos estabelecimentos dependeram deste tipo de materiais de plástico para continuarem a funcionar em segurança durante o confinamento.

Leis que proíbem sacos de plástico para fruta e louça de plástico publicadas esta segunda-feira

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Agora, os agentes do setor estão preocupados com a possibilidade de a lei entrar mesmo em vigor na data prevista. Segundo a secretária-geral da Associação de Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP), Ana Jacinto, a lei “tem suscitado muitas preocupações no setor, ainda mais agora, pelo particular momento, tão difícil, como aquele que atravessa”.

Ao Jornal de Negócios, o Ministério do Ambiente e da Ação Climática disse que “a ponderação dos efeitos da situação de pandemia nos agentes económicos e a ponderação da eventual suspensão da entrada em vigor da referida lei é matéria que compete à área governativa da economia“.

Já o Ministério da Economia assegurou estar “a acompanhar este assunto em articulação com o MAAC”.

Enquanto os agentes económicos do setor da restauração pedem um adiamento da entrada em vigor da suspensão, o setor ambientalista recusa tal opção e pede que os estabelecimentos que vendem alimentos e bebidas utilizem louça tradicional.