O incêndio que lavra no concelho de Sever do Vouga, distrito de Aveiro, encontra-se com “três grandes frentes ativas”, disse o presidente da autarquia, estimando que possa entrar em fase de resolução ainda esta terça-feira.

O incêndio deflagrou na segunda-feira, às 11h24, na freguesia de Arcozelo das Maias, concelho de Oliveira de Frades, tendo depois alastrado para o município de Sever do Vouga.

Em declarações à agência Lusa, cerca das 18h30, o presidente da Câmara Municipal de Sever do Vouga, António Coutinho, adiantou que existem de momento “três pontos mais críticos”, mas estima que venham a ser resolvidos com a evolução positiva das condições meteorológicas.

Penso que qualquer um deles estará em resolução, não imediata, mas com o tempo resolver-se-ão porque está a arder em zonas por onde andou já à volta o incêndio e, portanto, já não tem muito mais para arder”, afirmou o autarca.

Questionado sobre se estima que o incêndio entre em fase de resolução ainda esta terça-feira, o presidente da autarquia de Sever do Vouga disse esperar que sim.

“Em termos de vento, a coisa melhorou. O vento já não está como de manhã e de noite e isso também ajuda”, notou.

O autarca referiu ainda que o fogo não está neste momento perto de habitações, adiantando que “está a evoluir ao contrário, para zonas onde não há habitações muito próximas”.

Relativamente a eventuais danos, António Coutinho, disse não ter “ainda avaliação nenhuma de prejuízos nem daquilo que ardeu”.

“Tenho conhecimento de que arderam três ou quatro pequenos arrumos agrícolas, mas não houve grandes problemas. O que ardeu em grande parte foi floresta e mato”, salientou.

Às 19h estavam no local 795 operacionais, 264 veículos e 11 meios aéreos, de acordo com a página da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil.

Notícia atualizada às 19h45 com o novo ponto de situação do Presidente da Câmara.