Artigo atualizado com esclarecimento da TAP

Depois da polémica instalada no final de maio, a TAP vai mesmo preparar-se para assentar o plano de retoma de atividade no aeroporto de Lisboa, deixando de fora o aeroporto do Porto, escreve o Jornal de Notícias na edição desta segunda-feira. Em causa está um conjunto de ligações que deverão ser repostas já em outubro, tanto para a Europa como África, Brasil e EUA, e o suposto anúncio da criação de seis novas rotas para destinos turísticos no próximo ano – mas tudo a partir do aeroporto Humberto Delgado. A TAP, contudo, afirma que as únicas novas rotas previstas até ao primeiro trimestre do ano que vem são Lisboa/Maceió e Porto/Sal. Não estando o novo plano de novas rotas para o verão de 2021 ainda fechado.

O aeroporto Francisco Sá Carneiro, para já, terá apenas uma nova rota, com início em dezembro, para a ilha do Sal, em Cabo Verde, o que faz com que o Porto fique de fora do plano de recuperação da companhia aérea portuguesa muito afetada devido à pandemia da Covid-19.

“A TAP sublinha que não anunciou ainda o total da sua operação para o verão de 2021. A companhia tem vindo a repor gradualmente a sua operação, mas a recuperação é lenta, tal como as projeções da IATA apontam. Para o próximo ano, a previsão mais pessimista da IATA indica uma atividade inferior até 60% face à do ano de 2019”, lê-se num esclarecimento enviado pela TAP às redações na sequência da notícia que faz manchete no JN esta segunda-feira.

Câmara do Porto acusa TAP de ter uma visão colonialista sobre a região Norte

“O país está completamente anestesiado e o Governo, aparentemente, demitiu-se de ter qualquer opinião nas decisões estratégicas de retoma de voos da TAP”, diz ao JN o presidente da Associação Comercial do Porto, Nuno Botelho, criticando duramente a atuação do Governo nesta matéria, lembrando que o ministério de Pedro Nuno Santos tinha prometido reverter a polícia centralizadora da TAP, para evitar que, no Norte, a companhia aérea de bandeira seja substituída por companhias privadas low-cost.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

No site da empresa pode ler-se que em outubro vão ser retomadas diversas ligações, nomeadamente para Bilbau, Oslo, Chicago, Porto Alegre, Natal e Maputo, mas tudo a partir de Lisboa, e que vai ser aumentado o número de voos de Lisboa para Paris, Londres, Rio de Janeiro ou São Paulo.

Ao Jornal de Notícias, fonte da companhia aérea esclarece que “as únicas rotas que a TAP anunciou, com início entre outubro e março, são Lisboa/Maceió e Porto/Sal”. Segundo a mesma fonte, “a TAP acompanha em permanência a evolução dinâmica da pandemia e os seus impactos operacionais”.

“Na construção da operação para o próximo verão, a TAP já identificou algumas oportunidades de mercado, que permitem otimizar a rede e rentabilizar os recursos da companhia. São seis rotas sazonais, que irão operar apenas no período do pico do verão”, lê-se ainda no esclarecimento enviado à posteriori para as redações.