As autoridades de saúde da Catalunha publicaram um guião com perguntas e respostas em que procuram mitigar contágios do coronavírus durante as relações sexuais, recomendando que tenham lugar “em espaços grandes, abertos e bem ventilados”, segundo a imprensa espanhola.

Com o título “Sexo e Covid-19, perguntas e respostas”, o guião da Agência regional catalã de Saúde Pública, plataforma em que participam o executivo catalão e a autarquia de Barcelona, sublinha que “não há provas de que a doença se transmita através do sexo vaginal ou anal”, mas, de acordo com o jornal ABC, as autoridades sanitárias avisam que durante as relações sexuais pode haver exposição “à respiração ou à saliva”.

Notam ainda que o risco de contágio é muito maior se houver mudanças de parceiro sexual, recomendando, por isso, que sejam “reduzidas ao mínimo” as relações com pessoas que não partilhem o mesmo teto, de acordo com o El Mundo.

Deve haver ainda cuidado especial com limpeza. Ou seja, “tomar um duche ou lavar as mãos com água e sabão durante pelo menos 20 segundos antes e depois do sexo, lavar com água e sabão os brinquedos sexuais, no caso de serem usados, e desinfetar teclados e ecrãs se forem partilhados com alguém”.

No entanto, para quem queira mesmo segurança nas relações em tempos de pandemia, a resposta é bastante clara. Há práticas sexuais seguras? “Sim. As práticas sexuais sem contacto físico com outras pessoas, como, por exemplo, a masturbação pessoal, o visionamento de vídeos eróticos, o sexting [envio de mensagens ou imagens explícitas] ou as reuniões sexuais virtuais”, pode ler-se no guião.