O secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, garantiu esta quarta-feira ao chefe da diplomacia iraquiana, Fuad Hussein, que a aliança manterá o seu envolvimento no treino das forças de segurança do seu país.

A pedido do governo iraquiano, a NATO estabeleceu, em outubro de 2018, uma missão no Iraque, para treinar as forças daquele país, “em pleno respeito pela sua soberania e pela sua integridade territorial”. Em fevereiro, os ministros da Defesa aliados chegaram a um acordo de princípio para reforçar essa missão no Iraque, o que foi esta quarta-feira transmitido ao ministro dos Negócios Estrangeiros do Iraque.

Stoltenberg, que recebeu Hussein na sede da NATO, em Bruxelas, disse, em comunicado, que a sua organização e o Iraque “continuarão a trabalhar juntos na luta contra o terrorismo”.

Stoltenberg elogiou as forças de segurança iraquianas, pelos seus “sacrifícios na luta contra o Estado Islâmico”, dizendo que esses esforços deixaram o Iraque e os aliados “mais seguros”, sublinhando que a NATO “continua empenhada em ajudar o Iraque a reforçar as suas forças de segurança” em “plena coordenação com o governo iraquiano”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Stoltenberg também expressou seu apoio a Hussein na luta contra a pandemia de Covid-19 e reafirmou “o compromisso dos aliados da NATO em continuar a apoiar o Iraque em resposta a esta crise sanitária”.

Da mesma forma, o secretário-geral da NATO saudou os “esforços continuados” do governo iraquiano para levar a cabo um processo de reforma focado em “tornar o Iraque um país mais seguro para o seu povo e para a região”.