No total foram 52 as peças concorrentes à edição de 2020 do prémio “Os Direitos das Crianças em Notícia”, atribuído, pelo sexto ano consecutivo, pelo Fórum sobre os Direitos das Crianças e dos Jovens e patrocinado pela Sociedade Portuguesa de Autores.

Repartido em três categorias — imprensa/online; rádio e televisão —, o galardão, que tem como objetivo distinguir trabalhos jornalísticos sobre “temáticas ligadas à infância e juventude, tendo sempre presente os direitos estabelecidos pela Convenção sobre os Direitos das Crianças da ONU”, pode ler-se no comunicado enviado às redações, premiou reportagens de Ana Mafalda Inácio, do Diário de Notícias, Rita Colaço, da Antena 1, e Amélia Moura Ramos, da SIC.

A reportagem do Observador “Bebés doentes ou indesejados, abandonados com dias de vida. Foram 10 num só ano e C. foi um deles” foi distinguida com uma menção honrosa na categoria imprensa/online.

Publicada em dezembro de 2019, dias depois de um recém-nascido ter sido encontrado num ecoponto em Lisboa, abandonado pela mãe, a reportagem do Observador abordou a questão do abandono de bebés à nascença e acompanhou, nas instalações da Ajuda de Berço, em Alcântara, as histórias de várias crianças. Entre elas C., um bebé de apenas 15 meses, também ele deixado pelos pais com poucos dias de vida  e que, por sofrer de problemas graves de saúde, viveu no Hospital Dona Estefânia até completar um ano.

De entre a mais de meia centena de artigos concorrentes à sexta edição do prémio “Os Direitos das Crianças em Notícia”, explica ainda a nota de imprensa, constam trabalhos sobre temas como “a violência no namoro, a regulação da responsabilidade parental, o cancro pediátrico, o abuso sexual, os maus-tratos, o abandono, o bullying, o brincar e as crianças imigrantes”.

Pode ler ou reler a reportagem do Observador, agora distinguida, aqui:

Bebés doentes ou indesejados, abandonados com dias de vida. Foram 10 num só ano e C. foi um deles