A Universidade do Porto (U.Porto) anunciou esta quarta-feira a criação de uma rede de voluntários para ajudar os membros da comunidade académica a quem tenha sido imposto isolamento domiciliário e necessitem de apoio na entrega de bens de primeira necessidade.

Neste momento, a U.Porto conta com mais de 100 voluntários integrados no projeto “Apoio Domiciliário – Covid-19”.

Qualquer membro da comunidade académica que pretenda integrar o projeto pode ainda fazê-lo, mediante inscrição, indicando a disponibilidade horária durante a semana e fim de semana.

Algumas das ações para as quais a U.Porto procura voluntários no âmbito deste projeto são a entrega de refeições, medicação ou bens de primeira necessidade.

Segundo a instituição, a iniciativa foca-se sobretudo no apoio a elementos da comunidade académica que residam sozinhos, em habitações, residências universitárias ou outro tipo de alojamento, e a quem as autoridades de saúde tenham imposto isolamento domiciliário por Covid-19, quer decorrente de infeção por SARS-CoV-2 quer a título profilático.

Todos os membros da comunidade académica – entre estudantes, investigadores, docentes e não docentes – que estejam isolados podem usufruir deste apoio domiciliário.

Os pedidos de apoio para a entrega de refeições, medicação ou outros bens podem ser feitos através do e-mail voluntariado.up@reit.up.pt ou dos telefones +351.220408210/+351 962114512 ou +351220408741.

Os estudantes ou investigadores que habitem nas residências universitárias da U.Porto devem contactar os Serviços de Ação Social da U.Porto (SASUP), através dos contactos: ibasto@sas.up.pt/+351961259984 e/ou smartins@sas.up.pt/+351 969030877.

Todo o trabalho será acompanhado por técnicos da universidade e o processo está desenhado de acordo com as recomendações das autoridades de saúde para o combate à Covid-19.

Por exemplo, durante a entrega, os voluntários não deverão entrar nos domicílios ou quartos, deixando os bens do lado de fora da porta de acesso.

Na terça-feira, a universidade revelou que 80 estudantes do programa de mobilidade Erasmus a estudar no Porto estão infetados com o novo coronavírus.

Também fonte do Instituto Politécnico do Porto (IPP) disse à Lusa, na terça-feira, que o número de casos ativos de estudantes do programa Erasmus tinha subido de 14 para 24, sendo que se contabilizavam ainda mais sete estudantes nacionais com covid-19.

O Centro Hospitalar Universitário de São João (CHUSJ), no Porto, revelou na terça-feira que vai ativar o nível três do seu plano de contingência para a covid-19, ficando suspensa parte da atividade cirúrgica programada.

A ativação deste nível surge em resposta à necessidade de “aumentar” as áreas de internamento dedicadas à covid-19 e ao fluxo no serviço de urgência.

Portugal contabiliza pelo menos 2.110 mortos associados à covid-19 em 89.121 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS).

A pandemia de covid-19 já provocou mais de um milhão e oitenta e um mil mortos no mundo desde dezembro do ano passado, incluindo 2.110 em Portugal.