Dark Mode 170kWh poupados com o Asset 1
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica. Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Onde pode levar gratuitamente a vacina da gripe sazonal? Veja no mapa

Se tem 65 anos ou mais tem direito a uma vacina da gripe sazonal gratuita e pode tomá-la no centro de saúde ou farmácia. A vacina estará disponível em 2.352 farmácias. 13 municípios já a esgotaram.

i

O Ministério da Saúde vai disponibilizar 200 mil vacinas da gripe gratuitas às farmácias comunitárias

Tiago Petinga/LUSA

O Ministério da Saúde vai disponibilizar 200 mil vacinas da gripe gratuitas às farmácias comunitárias

Tiago Petinga/LUSA

Atualizado a 29 de outubro

O programa “Vacinação SNS Local”, que pretende facilitar o acesso de pessoas com 65 anos ou mais à vacina da gripe sazonal, estará disponível nas 2.352 farmácias que aderiram ao programa, distribuídas em 256 dos 278 concelhos do território continental. Até terça-feira, dia 27 de outubro, já tinham sido entregues mais de 94.500 vacinas nas farmácias, informou fonte oficial do Ministério da Saúde ao Observador.

Cada uma das mais de duas mil farmácias terá, pelo menos, 50 vacinas gratuitas para distribuir por este grupo de utentes. As farmácias nos municípios que também aderiram ao programa vão ter acesso a mais vacinas para distribuir gratuitamente. No total, o Ministério da Saúde vai distribuir 200 mil vacinas pelas farmácias comunitárias.

As vacinas da gripe vão ser gratuitas na farmácia?

Na época de vacinação contra a gripe 2020/2021, os seguintes grupos de risco podem ter acesso gratuito à vacina da gripe nos respetivos centros de saúde ou, excecionalmente, nas instituições (como lares ou hospitais) onde se encontrem, segundo norma da Direção-Geral da Saúde: pessoas com idade igual ou superior a 65 anos; grávidas; pessoas com mais de seis meses de idade residentes em instituições; pessoas com mais de seis meses com doenças crónicas; e profissionais de saúde.

Este ano, as pessoas com 65 anos ou mais também podem tomar a vacina numa farmácia à sua escolha e de forma totalmente gratuita. A vacinação deverá ser feita mediante marcação e só estará disponível em Portugal continental.

Haverá ainda 500 mil vacinas à venda nas farmácias para a população que não pertence aos grupos prioritários e terão uma comparticipação de 37% mediante prescrição médica. Mas o fornecimento das encomendas pode não ser o que as farmácias esperavam. O Observador tem conhecimento de uma farmácia no concelho de Sintra que encomendou 600 vacinas da gripe e só recebeu 80. Aguarda uma segunda tranche agora em novembro, mas duvida que chegue para servir a lista de quase 400 pessoas que tem à espera.

Quando posso ir à farmácia levar a vacina?

O programa de vacinação nas farmácias começou no dia 19 de outubro e dura até 31 de dezembro. Até dia 27 de outubro, e segundo dados do Ministério da Saúde, foram distribuídas mais de 94.500 mil vacinas da gripe das 200 mil que serão disponibilizadas gratuitamente às farmácias comunitárias.

As farmácias, em princípio, só aceitarão vacinar os utentes mediante marcação para evitar filas e ajuntamentos e garantir que têm vacinas disponíveis. Os utentes devem fazer-se acompanhar pelo cartão de cidadão para fazerem prova da idade.

Em que farmácias vão estar disponíveis as vacinas?

Todas as farmácias que aderiram ao programa (2.352, a dia 27 de outubro) terão acesso a pelo menos 50 vacinas para distribuírem gratuitamente a pessoas com 65 anos ou mais, o que representa mais de 80% das farmácias integradas na Associação Nacional de Farmácias (ANF) e Associação de Farmácias de Portugal (AFP).

Além disso, as farmácias que estejam integradas em municípios que também aderiram ao programa — até 29 de outubro eram cerca de 80, mas a lista está em atualização — terão acesso a mais vacinas até dia 31 de dezembro de 2020, quando termina a campanha de vacinação.

Municípios aderentes ao programa "Vacinação SNS Local"

Mostrar Esconder

Abrantes, Águeda, Aguiar da Beira, Alcanena, Alcochete, Almada, Almeirim, Alpiarça, Anadia, Amadora, Arganil, Ansião, Azambuja, Batalha, Bombarral, Cabeceiras de Basto, Carrazeda de Ansiães, Cartaxo, Cascais, Castelo Branco, Castro Daire, Constância, Fafe, Faro, Felgueiras, Figueira da Foz, Fornos de Algodres, Guimarães, Idanha-a-Nova, Ílhavo, Loulé, Loures, Lousã, Mafra, Matosinhos, Mealhada, Miranda do Corvo, Moita, Monção, Mondim de Basto, Montemor-o-Velho, Moura, Nelas, Óbidos, Odivelas, Oeiras, Oliveira de Frades, Oliveira do Bairro, Oliveira do Hospital, Ourém, Paços de Ferreira, Palmela, Penela, Portel, Portimão, Porto, Porto de Mós, Reguengos de Monsaraz, Rio Maior, Sabrosa, Sabugal, Salvaterra de Magos, Santarém, Santo Tirso, Sardoal, Sátão, Setúbal, Sever do Vouga, Sintra, Tomar, Torre de Moncorvo, Torres Novas, Torres Vedras, Vendas Novas, Vila do Conde, Vila Nova de Gaia e Vouzela.

De referir, porém, que só puderam aderir ao programa as farmácias que têm uma certificação para administrarem vacinas, que inclui não só a formação dada pela Ordem dos Farmacêuticos, mas também disponível uma injeção de adrenalina, em caso de choque anafilático; capacidade para conservar as vacinas no frio; e medidas de higienização do gabinete depois da vacinação de cada utente.

Consulte o mapa em baixo para ver se o seu município aderiu ao programa “Vacinação SNS Local”.

Quem assume os custos das vacina da gripe?

As 200 mil doses de vacinas contra a gripe sazonal vão ser distribuídas pelo Ministério da Saúde pelas farmácias aderentes sem qualquer custo para a farmácia. Adicionalmente, o Ministério da Saúde vai disponibilizar vacinas gratuitas para todos os profissionais das farmácias envolvidas, conforme resposta ao Observador.

O programa ‘Vacinação SNS Local’ é inspirado no projeto-piloto que foi concretizado no ano passado no concelho de Loures, com envolvimento da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, da Associação Nacional das Farmácias e Associação de Distribuidores Farmacêuticos”, disse fonte oficial do Ministério da Saúde ao Observador.

Este ano, o Ministério da Saúde lançou o desafio às farmácias, associações farmacêuticas e distribuidores, no âmbito da responsabilidade social, com o “objetivo de garantir com proximidade a maior cobertura vacinal da população com idade igual ou superior a 65 anos, identificada como grupo prioritário”.

A taxa de administração da vacina, fixada pelas farmácias num valor de 2,5 euros, será comparticipada pela associação Dignitude, uma instituição particular de solidariedade social da área do medicamento, e/ou pelos municípios aderentes.

A associação Dignitude suportará as taxas de vacinação das primeiras 50 vacinas em todas as 2.352 farmácias aderentes recorrendo ao Fundo de Emergência Abem, criado por causa da Covid-19 — um valor estimado de quase 300 mil euros. Nas farmácias integradas em municípios aderentes, a autarquia suportará, pelo menos, 90%  do valor da taxa de vacinação de cada vacina em cada farmácia e a associação Dignitude um máximo de 10% por vacina, explicou fonte da ANF ao Observador.

O Observador sabe que 13 municípios já esgotaram a verba que tinham prevista para apoiar a vacinação nas farmácias na sua área de atuação. Estas farmácias, se ainda tiverem vacinas disponíveis, podem dá-las aos utentes, mas já não podem fazer mais pedidos do lote distribuído pelo Ministério da Saúde. As 13 autarquias nesta situação são: Almada, Amadora, Ansião, Felgueiras, Nelas, Odivelas, Paços de Ferreira, Palmela, Porto, Santarém, Torres Novas, Torres Vedras e Vila Nova de Gaia.

Atualização do número de vacinas distribuídas e do número de farmácias aderentes, a 27 de outubro.
Atualização com os concelhos que já não têm mais verba para apoiar o programa “Vacinação SNS Local”, a 29 de outubro.

Recomendamos

A página está a demorar muito tempo.