Um perito em segurança informática holandês afirma ter acedido à conta de Twitter do presidente norte-americano no início deste mês, depois de ter adivinhado a password de Donald Trump: “maga2020!” (referente ao slogan “Make America Great Again”). A notícia é avança por dois meios dos Países Baixos, o jornal De Volkskrant e a revista Vrij Nederland, que tiveram acesso a capturas de ecrã da respetiva conta de Twitter e entrevistaram o hacker em causa, de nome Victor Gevers.

Entretanto, segundo o The Verge, tanto a rede social em questão como a Casa Branca vieram negar “vigorosamente” esta afirmação. “Não encontrámos nenhuma prova que corrobore essa afirmação, além do artigo publicado hoje nos Países Baixos”, afirmou um porta-voz do Twitter. Do lado da Casa Branca, a mensagem foi semelhante: “Isto não é de todo verdade (…) mas não comentamos sobre os procedimentos de segurança nas contas de redes sociais do presidente”.

Em setembro, o título Vrij Nederland noticiou que Victor Gevers e outros dois hackers acederam à conta de Twitter de Trump pela primeira vez em outubro de 2016, altura em que a password de acesso seria “yourefired”, uma expressão popularizada no reality show “The Apprentice”, apresentado por Donald Trump. Gevers terá decidido fazer um novo teste de segurança em 2020 com a velha senha a já não funcionar — no entanto, adivinhou a nova password à quinta tentativa e descobriu também que Trump não tinha a autenticação da conta em duas etapas ativada.

Ao jornal De Volkskrant, Gevers comentou que esperava ser bloqueado ao fim de quatro tentativas falhadas ou que lhe fosse pedida informação adicional. O facto de ter alegadamente acedido à conta de Twitter permitiu ao perito em segurança informática ter acesso aos 87 milhões de seguidores de Trump, o que o deixou em pânico. Segundo o jornal já citado, após o sucedido Gevers tentou entrar em contacto com a equipa responsável pela campanha do presidente e enviou mensagens via Twitter alertando para a falha de segurança, identificando a CIA, a Casa Branca, o FBI e o próprio Twitter. Não houve qualquer resposta.

Um dia mais tarde, Gevers apercebeu-se que a autenticação em duas etapas tinha sido ativada na conta de Trump e, dois dias depois, foi contactado  pelos Serviços Secretos que, de acordo com o De Volkskrant, agradeceram o alerta. Curiosamente, ainda esta semana Trump discursou publicamente e afirmou que “ninguém é ‘hackeado'”, exceto por alguém com “um QI de 197” e com “cerca de 15% da password” em questão.

Victor Gevers, esclarece ainda o The Verge, é um respeitado especialista em segurança e cofundador da organização sem fins lucrativos GDI Foundation.