O Clube Futebol Benfica anunciou que a equipa feminina vai faltar ao jogo agendado para as 19h desta quarta-feira, contra o Torreense, a contar para a Liga BPI, o principal campeonato português de futebol feminino. Em declarações à Agência Lusa, o presidente do clube lisboeta explicou que a equipa está disposta a perder por falta de comparência, caso o jogo não seja adiado, por várias jogadoras não conseguirem estar presentes devido a compromissos profissionais ou escolares.

“Não vamos conseguir jogar hoje. Com o jogo agendado para as 19h, num dia de semana, não temos jogadoras suficientes. As nossas jogadoras são estudantes, outras têm as suas atividades laborais, com responsabilidades, e não é possível”, explicou Domingos Estanislau, que criticou o agendamento de um jogo em atraso, referente à quarta jornada da Liga BPI, em Torres Vedras e a meio de uma semana de trabalho. Isto porque o plantel do Fofó, como é carinhosamente tratado pelos adeptos e conhecido no mundo do desporto, é composto por jogadoras não profissionais, que acumulam o futebol com outras atividades paralelas, como estudos universitários ou outras profissões.

Presidente do Futebol Benfica: “Paulo Bento veio para o Futebol Benfica por causa de um encontro de tupperwares”

Ainda assim, e em declarações à Lusa, o presidente do Clube Futebol Benfica indicou que foi contactado pela Federação Portuguesa de Futebol numa tentativa de encontrar uma nova data para o jogo. “Solicitaram informações sobre as nossas jogadoras e enviámos tudo já hoje. Acredito que o jogo vai ser agendado para nova data”, concluiu Estanislau, que está na liderança do clube lisboeta desde o final dos anos 80.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O Fofó está nesta altura no oitavo lugar da Série Sul da Liga BPI, ainda sem pontuar nos três jogos já disputados desde o início da temporada. De recordar que o clube foi um dos que mais sofreu com a introdução de equipas profissionais de futebol feminino por parte dos principais clubes portugueses, como é o caso do Benfica, do Sporting e do Sp. Braga: o Fofó, que chegou a dominar a modalidade e foi campeão nacional em 2015 e 2016, perdeu várias das jogadoras internacionais que tinha e procura agora manter-se à tona no primeiro escalão nacional.