Os estabelecimentos comerciais da Figueira da Foz, no distrito de Coimbra, devem encerrar até às 13h00 aos sábados e domingos e até às 22h00 aos dias úteis, durante o período do estado de emergência, anunciou a autarquia.

O presidente do município, Carlos Monteiro, determinou, em despacho, que, durante o período do estado de emergência devido à pandemia causada pela Covid-19, aos sábados e domingos, “todos os estabelecimentos de comércio a retalho e de prestação de serviços, bem como os que se encontrem em conjuntos comerciais, deverão encerrar até às 13h00”.

Segundo o documento, são exceções as mercearias e supermercados e outros estabelecimentos de venda de produtos alimentares e de higiene para pessoas e animais, que deverão encerrar até às 19h00.

Os estabelecimentos de restauração e similares exclusivamente para efeitos de entrega no domicílio, diretamente ou através de intermediário, devem fechar até às 01h00.

São exceções farmácias e locais de venda de medicamentos não sujeitos a receita médica, consultórios e clínicas (designadamente clínicas dentárias e centros de atendimento médicoveterinário com urgências), atividades funerárias e conexas e postos de abastecimento de combustíveis.

Carlos Monteiro deliberou ainda que na área do município da Figueira da Foz, nos dias úteis, “todos os estabelecimentos de comércio a retalho e de prestação de serviços, bem como os que se encontrem em conjuntos comerciais, deverão encerrar até às 22h00”.

Segundo a autarquia, os estabelecimentos de prestação de serviços de aluguer de veículos sem condutor podem, sempre que o respetivo horário de funcionamento o permita, encerrar às 01h00 e reabrir às 06h00.

Por fim, o despacho autárquico determina que os equipamentos culturais não municipais devem fechar portas às 22h30.

O presidente da autarquia da Figueira da Foz justifica as medidas face à evolução da situação epidemiológica no concelho, que faz parte da lista de municípios de maior risco desde j4 de novembro.

A pandemia de Covid-19 provocou pelo menos 1.285.160 mortos em mais de 52,1 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 3.181 pessoas dos 198.011 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.