A companhia Marionet, de Coimbra, celebra 20 anos de existência com a remontagem de “A Revolução dos Corpos Celestes”, a sua primeira peça de tema científico.

A remontagem da peça, estreada originalmente em 2001, era para ter decorrido em março, mas a pandemia obrigou à suspensão da sua apresentação, que será feita entre quinta-feira e domingo, no Teatro da Cerca de São Bernardo (TCSB), em Coimbra, num horário adaptado às limitações impostas pelo estado de emergência.

No ano em que assinala os 20 anos de companhia, a Marionet apresentou em outubro, no Salão Brazil, “Estranho Amor”, sendo que a remontagem de “LED – Viagem ao interior num computador”, prevista para junho, deverá ser apresentada no Teatro Académico de Gil Vicente (TAGV) no final de janeiro, disse à agência Lusa o diretor do grupo, Mário Montenegro.

Devido às regras do estado de emergência, a peça é apresentada quinta e sexta-feira às 19h e no sábado e domingo às 11h.

A peça “A Revolução dos Corpos Celestes”, estreada em 2001 no extinto Museu Nacional da Ciência e da Técnica, é o regresso da companhia ao espetáculo que é, em parte, responsável pelo percurso da companhia, focada no teatro de tema científico.

O espetáculo aborda a evolução do conhecimento sobre a posição da Terra no universo, ancorando-se nos avanços científicos de três homens: Ptolomeu, Copérnico e Galileu.

A evolução da cosmologia é acompanhada por outras duas personagens — “um espírito livre e um espírito conservador” —, apresentando questões relacionadas com a História, com o exercício do poder e com o confronto entre a ciência e a igreja.

Em nota de imprensa, a Escola da Noite, companhia que gere o TCSB, “congratula-se por ter sido possível recalendarizar a temporada, ainda que com os horários condicionados pelo actual estado de emergência”. Esta é a quinta estreia da Marionet no TCSB.

“A Revolução dos Corpos Celestes” é interpretada pelos atores Miguel Lança, Filipe Eusébio e Susana Pereira Francisco.