O endividamento da economia portuguesa, que já tinha batido recordes sucessivos em agosto, setembro e outubro, renovou novos máximos em novembro, segundo o Banco de Portugal. No total, entre Estado, famílias e empresas, Portugal acumulou 742,8 mil milhões de euros de dívida.

Para a subida de 2,1 mil milhões de euros em comparação com outubro, o Estado contribuiu com mais 1,4 mil milhões de euros (para um total de 338 mil milhões) e o setor privado aumentou a dívida com 700 milhões.

No caso das empresas, a dívida atinge agora 263 mil milhões de euros e nas famílias chega aos 141 mil milhões.

Na comparação com o mesmo mês de 2019 (pré-pandemia), a diferença é bem mais acentuada, tendo em conta os diferentes contextos — no espaço de um ano, Portugal acumulou mais 20 mil milhões de euros de dívida.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O peso desta dívida no PIB até novembro ainda não é conhecido, mas até setembro representava 362% de toda a riqueza produzida pelo país.

Fonte: Banco de Portugal