As vendas de combustíveis rodoviários nos postos de abastecimento caíram 13,9% em novembro de 2020, em termos homólogos, para 338.255.266 litros, desempenho “a que não será alheio” o conjunto de medidas de combate à pandemia, adiantou a ENSE.

Em comunicado, a ENSE – Entidade Nacional para o Setor Energético indicou que “as vendas de combustíveis rodoviários nos postos de abastecimento retalhistas em Portugal registaram uma descida mais acentuada durante o passado mês de novembro de 2020 com uma redução homóloga de 13,90% face ao mesmo período de 2019”, indicando que “a este facto não será alheio o conjunto de novas medidas de restrição e confinamento que foram decretadas com o objetivo de controlar o número de contágios por coronavírus”.

Assim, “depois de em outubro se ter registado uma descida total homóloga de 4,16%, em novembro a quebra acentuou-se com uma descida homóloga face a novembro de 2019 de 15,74% na gasolina rodoviária e de 13,32% no gasóleo rodoviário”, indicou a entidade na mesma nota.

De acordo com os dados disponibilizados pela ENSE, o total de gasóleo rodoviário vendido no penúltimo mês de 2020 foi 259.597.708 e a gasolina totalizou 78.657.558 litros.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Segundo a ENSE, tendo em conta “a trajetória verificada desde o início da crise pandémica, resulta claro que, depois de uma recuperação verificada a partir de maio e que durou até ao passado mês de setembro, os dados das vendas destes combustíveis mostram uma deterioração clara deste indicador”, com o reforço das restrições, sendo que “não é claro ainda quando é que o processo de vacinação poderá permitir um nível de imunização da população que ajude a retornar a um cenário de progressiva normalidade”, segundo a mesma nota.

Estes valores são obtidos com base no registo das vendas dos postos de abastecimento que é efetuado no Balcão Único da Energia que foi criado e é gerido pela ENSE, lembrou a entidade.