O número de beneficiários do Complemento Solidário para Idosos (CSI) tem vindo a diminuir durante a pandemia da Covid-19, noticia esta sexta-feira o jornal Público.

A mortalidade mais elevada causada pela pandemia, e que afeta sobretudo os mais idosos, é uma das explicações — mas não a única.

Segundo aquele jornal, o número de beneficiários do CSI vinha-se mantendo estável em torno dos 165 mil desde abril de 2017. Porém, em dezembro de 2020 tinha caído até aos 161 mil.

Ao Público, o sociólogo Fernando Diogo adiantou dois fatores que têm, potencialmente, contribuído para o decréscimo do número de pessoas que beneficiam deste apoio: a mortalidade, mas também o medo da pandemia.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Embora a candidatura possa ser feita através das vias digitais, os idosos estão “menos familiarizados com essa possibilidade” e “agora mais temem ir aos serviços”.

O CSI é um benefício atribuído pela Segurança Social a idosos com mais de 66 anos e 5 meses de idade que tenham um rendimento anual inferior a 5.258,63 euros por ano — ou 9.202,60 euros para os casais.