237kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica. Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Poupe na sua eletricidade com o MEO Energia. Simule aqui.

Há menos internados do que havia no Natal. Mas número de doentes nos cuidados intensivos continua maior

No Natal, estavam internados em Portugal 2.754 doentes — um número que agora ronda os 2.600. Porém, se a comparação for feita em relação à ocupação dos cuidados intensivos, o cenário é pior.

i

Às 00h desta quinta-feira estavam hospitalizadas em Portugal com Covid-19 2.613 pessoas

JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR

Às 00h desta quinta-feira estavam hospitalizadas em Portugal com Covid-19 2.613 pessoas

JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR

O número de pessoas hospitalizadas em Portugal com Covid-19 tem vindo a diminuir significativamente na sequência da redução dos contágios, conseguida após as medidas de confinamento decretadas. Para se ter uma ideia, há menos de três semanas estavam hospitalizadas em Portugal mais de seis mil pessoas com o vírus SARS-CoV-2. Há uma semana, o número de internados voltou a ser inferior a 4 mil, o que não acontecia desde 11 de janeiro. Agora ronda os 2.600.

Para efeitos de comparação, a 25 de dezembro do ano passado — no dia de Natal, que antecedeu um crescimento exponencial de contágios e internamentos — estavam internados em Portugal 2.754 doentes com Covid-19. Ou seja, estão agora menos doentes internados com Covid-19 do que no Natal. Porém, se a comparação for feita em relação à ocupação das unidades de cuidados intensivos, o cenário é agora pior: a 25 de dezembro estavam 504 pessoas em UCI, agora estão 536 (mais 32).

De acordo com o boletim diário referente à evolução da pandemia da Covid-19 em Portugal divulgado esta quinta-feira pela Direção Geral da Saúde, às 00h desta quinta-feira, estavam hospitalizadas em Portugal com Covid-19 2.613 pessoas — entre saídas e novas admissões hospitalares, são menos 154 do que as que estavam internadas em unidades hospitalares portuguesas 24 horas antes. Também a ocupação de unidades de cuidados intensivos (UCI) teve uma variação face à contabilização feita 24 horas antes. Às 00h de esta quinta-feira, estavam 536 doentes em UCI, menos 31 do que 24 horas antes.

As autoridades de saúde detetaram mais 1.160 casos novos de infeção com o novo coronavírus em Portugal nas últimas 24 horas — no mesmo dia da semana passada, o boletim identificava 1.944 novos casos. Face ao mesmo dia da semana anterior, há assim um registo de menos 784 casos novos de infeção. Para se ter uma ideia da evolução dos números, há duas semanas o boletim da DGS divulgado quinta-feira identificava 3.480 novos casos e o do mesmo dia de há três semanas reportava 7.914 novas infeções.

Não há mortes abaixo dos 50 anos. Mas morreram três pessoas na casa dos 60

Desde que a pandemia chegou a Portugal, tiveram teste de diagnóstico positivo à infeção 801.746 e morreram 16.185. Esta quinta-feira, há registo de mais 49 mortes.

Das 49 pessoas que nas últimas 24 horas morreram infetadas com o novo coronavírus em Portugal, nenhuma tinha menos de 50 anos mas uma (um homem) tinha entre 50 e 59 anos e quatro (três homens e uma mulher) tinham entre 60 e 69. A larga maioria das vítimas mortais, mais especificamente as restantes 44 pessoas, tinha mais de 70 anos: 14 (oito homens e seis mulheres) tinham entre 70 e 79 anos e as restantes 30 tinham 80 anos ou mais.

Mais de 710 mil recuperados desde março. Ao todo há 73.848 casos ativos

Em Portugal, ao longo das 24 horas desta quarta-feira, 2.659 pessoas que estavam infetadas foram dadas como clinicamente recuperadas pelas autoridades de saúde. Isto de acordo com o boletim divulgado esta quinta-feira pela DGS. Desde a chegada da pandemia ao país em março, mais de 710 mil infetados foram dados como recuperados. Ao todo, foram dadas como recuperadas 711.713 pessoas.

Neste momento, existem 73.848 casos ativos de infeção com o novo coronavírus em Portugal — ou seja, há 73.848 pessoas dadas como estando infetadas no momento da última contabilização feita pela DGS. Este número exclui aqueles que não resistiram à infeção ou os que já recuperaram. Há assim menos 1.548 pessoas dadas como infetadas pelas autoridades do que há 24 horas. Na última quinta-feira, há exatamente uma semana, o boletim da DGS reportava 89.613 casos ativos — mais 15 mil (15.765).

Lisboa e Vale do Tejo com quase metade (47%) dos novos casos. Apenas 3 casos novos nos Açores

A região de Lisboa e Vale do Tejo (LVT) continua a ser a mais afetada pela pandemia — algo que se tem verificado de forma relativamente consistente desde o começo da terceira vaga de contágios. O boletim divulgado esta quinta-feira pela DGS, com dados apurados ao longo das 24 horas do dia anterior, indica que em LVT foram detetados pelas autoridades de saúde mais 546 casos confirmados de infeção — quase metade (47%) da totalidade de novos casos no país.

Seguem-se nas regiões atualmente mais afetadas pela Covid-19 a região Norte, com 326 novas infeções confirmadas, a região Centro, com mais 137 casos, o Algarve com 45 novas infeções detetadas, o Alentejo com 22 casos novas e a Madeira e os Açores, respetivamente com 81 e 3 novas infeções.

Recomendamos

A página está a demorar muito tempo.