Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Os atletas olímpicos que marcarão presença nos Jogos de Tóquio, que se iniciam a 23 de julho, serão vacinados antes da competição, no seguimento daquilo que tinha sido pedido pelo Comité Olímpico de Portugal (COP). A revelação foi feita esta manhã por José Manuel Constantino, presidente do COP, durante a apresentação da nova App Equipa Portugal, numa parceria com a Repsol, que assinalou os 100 dias para o arranque da prova.

José Manuel Constantino explicou que foi contactado na segunda-feira pelo Secretário de Estado da Saúde, que deixou garantias em relação à participação dos atletas portugueses na maior competição global desportiva já devidamente vacinados, acrescentando que no próprio dia elementos da task force encarregue pelo Plano de vacinação contra a Covid-19 em Portugal contactaram o COP para recolher elementos a esse respeito em relação aos elementos já qualificados e também às competições agendadas nas próximas semanas.

O presidente do COP acrescentou ainda que não tem dados concretos sobre tudo o que se passa nos outros países europeus mas que, atendendo às informações prestadas e partilhadas pelos restantes Comités Olímpicos Europeus, a generalidade dos países já vacinou ou prevê vacinar as suas respetivas missões para Tóquio. De acrescentar que, como o Observador revelara na semana passada, o COP já tinha enviado um total de seis missivas para Ministério da Saúde e Direção Geral da Saúde para tentar perceber essa possibilidade.

Em paralelo, e aproveitando a ocasião, José Manuel Constantino voltou a colocar como objetivo mínimo chegar a duas medalhas e 12 diplomas (lugares até ao oitavo posto), como tinha sido contratualizado em 2017 entre o COP e o Estado. “Se conseguirmos mais do que isso, ficaremos todos satisfeitos; se não atingirmos esse objetivo, a responsabilidade será do COP”, destacou em relação a uma edição que será diferente de todas as outras, “até porque a generalidade da população local está contra a realização do evento em 2021”. “A partir de agora serão 100 dias em que teremos de estar preparados para decisões surpresas que possam aparecer”, realçou.

Marco Alves, Chefe de Missão de Portugal para os Jogos Olímpicos de Tóquio, fez ainda um balanço sobre os 56 atletas já apurados que poderão chegar aos 80 ou mais nas próximas semanas, com qualificações de várias modalidades ainda em aberto, e abordou também algumas dificuldades que têm surgido devido à pandemia, nomeadamente a nível de ligações aéreas para o Japão, e até de outro índole como menos “visível” como foi o bloqueio do Canal do Suez, que atrasou a chegada de material enviado pela delegação nacional como material desportivo, equipamento para criar um ginásio no espaço de Portugal nos Jogos e produtos de nutrição por forma a diminuir a utilização de espaços comuns, identificações personalizadas de espaços e café.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR