271kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica. Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Poupe na sua eletricidade com o MEO Energia. Simule aqui.

Boletim DGS. R(t) desce para valor mais baixo num mês e incidência abaixo de 60 casos (por 100 mil habitantes)

Boletim da Direção-Geral da Saúde dá conta de descida ligeira no R(t) para os valores mais baixos desde 2 de abril. A incidência também melhorou. Mais dois óbitos e 387 novos casos, 44% no norte.

Portugal Impacted By Coronavirus
i

Corbis via Getty Images

Corbis via Getty Images

O indicador conhecido como R(t), que mede a transmissibilidade de infeções virais, baixou nas últimas horas para 0,95 em Portugal, com mais 387 novos casos de Covid-19 detetados nas últimas 24 horas. A informação consta do boletim diário divulgado pela Direção-Geral da Saúde (DGS) esta quarta-feira, dia em que também se registam mais dois óbitos atribuídos à doença, em ambos os casos pessoas que tinham mais de 70 anos.

Desde 2 de abril, quando o R(t) subiu para 0,97, que não se via um valor tão baixo para este indicador. Desde então, o R(t) superou os 1,05 em meados de abril mas, nas últimas semanas, retomou uma trajetória descendente, segundo a DGS. Na última leitura, avançada na segunda-feira passada, os dados apontavam para um valor de 0,96 tanto no país, como um todo, como apenas no território continental.

Já o rácio de incidência, que também é atualizado de dois em dois dias, melhorou para 61,3 no país e 59 no continente – valor mais baixo pelo menos desde que o primeiro-ministro António Costa introduziu esta matriz de risco e a DGS passou a apresentar os dados de dois em dois dias. A leitura anterior era de 64,4 a nível nacional e 62 casos (por 100 mil habitantes) no continente.

Assim, a matriz de risco atualizada nesta quarta-feira coloca Portugal numa situação um pouco mais confortável, na zona verde.

O boletim desta quarta-feira indica, também, que foram detetados mais 387 novos casos de Covid-19 em Portugal, nas últimas 24h, uma contagem que compara com os 258 casos da véspera e, também, com os 572 no boletim diário divulgado na última quarta-feira. Foi o sétimo dia consecutivo com menos de 500 novos casos.

Na média móvel dos últimos sete dias aponta para um ritmo de 363 novos casos detetados por cada dia, em Portugal, uma média que chegou a superar os 12 mil casos no final de janeiro.

Os dados da DGS assinalam, também, que foram registados dois óbitos cuja causa foi atribuída à infeção pelo novo coronavírus, o que compara com as 4 mortes verificadas nas 24h anteriores.

Uma das mortes ocorreu na zona de Lisboa e Vale do Tejo e o outro no centro do país. E ambas as pessoas que morreram nestas 24h tinham mais de 70 anos, segundo os dados da DGS – dois homens, um com entre 70 e 79 anos e outro com mais de 80.

Até ao momento, morreram 16.983 pessoas infetadas com o novo coronavírus em Portugal, 87% tinham mais de 70 anos.

Subiu em uma pessoa o número de doentes com Covid-19 internados nos hospitais portugueses, com a contagem à meia-noite nos 297, ou seja, mantendo-se abaixo da fasquia abaixo da qual desceu na terça-feira – a fasquia dos 300 internados, número mais baixo desde março de 2020.

Entre estes 297 doentes internados, 83 estão em cuidados intensivos, um aumento de quatro em relação à véspera.

Por outro lado, foram considerados recuperados 513 casos, o que contribuiu para baixar o número de casos ativos para 22.705.

Ainda a respeito dos novos casos, foi no norte do país que nestas 24h se detetaram mais novas infeções: cerca 44% do total, ou seja, 171 das 387 pessoas em quem foi diagnosticada a infeção.

Em Lisboa e Vale do Tejo houve 88 testes positivos à Covid-19, menos de 100 pelo quarto dia consecutivo  – desde abril de 2020 que não acontecia.

No centro houve 59 novos casos, no Alentejo 12 e no Algarve 14. A estes, somam-se os 23 casos na Madeira e 20 nos Açores.

Recomendamos

A página está a demorar muito tempo.